A primeira vez de LeBron James na NBA

15:49 Net Esportes 2 Comments

Como uma verdadeira enxurrada vinham as críticas de todas as partes. LeBron James sempre foi um exímio jogador de basquete, sempre foi um dos melhores da NBA, mas sempre foi obrigado a ouvir o que seus ouvidos não gostariam de escutar. Motivos realmente não faltavam, como falhar na hora decisiva e mudar sua vida com uma "decisão" que se tornou seu maior pesadelo. Com um jeito marrento ele jogava com raiva e ódio, havia perdido o amor pelo jogo. Sua barba diferente e o cavanhaque talvez só ajudassem a piorar sua imagem, pois não havia nem um pingo de carisma. James não agradava seus velhos fãs em Cleveland, mas parecia não agradar qualquer fã do melhor basquete do mundo.

Foi fácil torcer pelo Dallas Mavericks em 2011, era fácil torcer pelo Oklahoma City Thunder e seus jovens talentos cheios de vontade em 2012. LeBron James se queimou pela forma como anunciou sua saída do Cleveland Cavaliers, ao vivo na televisão, e não porque queria se juntar à outros dois talentos para ser campeão como jamais seria no Cavs. Nem a mãe de Dwyane Wade sabia sobre a formação do trio com Chris Bosh. Uma trinca que tinha tudo para dar certo, que fez a equipe praticamente dominar a temporada do ano passado, mas que acabou não dando em nada quando sucumbiram na decisão. James só queria calar a boca de uma dúzia ou mais, não conseguiu. Desta vez ele esqueceu a história da vingança e acabou calando a boca de praticamente o mundo inteiro.

Um jogador com 27 anos de idade que havia disperdiçado grandes oportunidades no passado. LeBron James pode jogar mais uns dez anos na NBA pelo menos, mas já figurava em qualquer lista de grandes jogadores que jamais ganharam o título. Para se ter uma idéia do exagero nas críticas basta vermos com quantos anos Michael Jordan foi campeão pelo primeira vez: 28 anos. A única diferença é que Jordan nunca havia tido as mesmas oportunidades reais que teve James, não dava motivos para ser chamado de amarelão e jamais havia chegado na final. Em contrapartida Jordan tinha apenas um prêmio de MVP na temporada e James já foi condecorado com a honra três vezes.

Ninguém estava errado quando colocava à prova os limites do talento de LeBron James. Mesmo porque o Miami Heat não foi campeão pela segunda vez em sua história graças ao LeBron James, pois não só Wade e Bosh tiveram sua enorme importância, como também Mike Miller, Mario Chalmers e tantos outros. O Heat foi campeão na coletividade e não na individualidade, principalmente quando vemos que LeBron James não marca 40 pontos em um jogo e sim faz um triple double. James é um jogador completo que joga para o time, ninguém fazia um triple double como o que ele fez no jogo quatro das finais desde Larry Bird em 1986. Com a repetição dos dois digitos em três estatísticas no jogo cinco ele se tornou apenas o sétimo jogador em toda a história a alcançar tal feito.

Foram 25 pontos ou mais em 14 jogos seguidos de pós-temporada. Ele se tornou o primeiro atleta a conseguir somar pelo menos 650 pontos, 200 rebotes e 100 assistências em uma edição dos playoffs. Foi o 2º jogador a conseguir média de pelo menos 30 pontos, 9 rebotes e 5 assistências nos playoffs. Sem contar outros tantos números alcançados. LeBron James finalmente venceu a NBA, mesmo que nem fosse tarde para fazê-lo, mas agora ele pode descansar em paz pois parecia que ele era obrigado a conseguir isso. Uma cobrança exagerada, seja porque ele sempre demonstrou seu potencial ou seja porque ele dava motivos para ser criticado e odiado. Agora isso tudo acabou, ou será que agora todos vão começar a cobrar conquistas múltiplas para esse que já era e agora é ainda mais um dos melhores de todos os tempos? (Foto: Ronald Martinez/Getty Images)

2 comentários:

Ron Groo disse...

Finalmente chegou a vez do Lebrão, mas creio que ficará nesta, e só.

Nos EUA, tem uns caras da imprensa dizendo que ele está no nível de MJ... Rapaz. Se ele está no nível de sua majestade aérea, eu como branco e anão, sou Larry Byrd.

Net Esportes disse...

@Ron Groo: hahahah boa Groo. Mas o pessoal está analizando ele como jogador independente de títulos e tal. Ele não é o cara que vai marcar 40 ou 50 pontos no jogo e decidir sozinho, mas é o cara completo que faz triple double e ajuda a equipe, atrai a marcação e passa a bola para quem está livre ... ele joga para o time, mas se não houvesse o time (Wade e Bosh) não ia adiantar nada.