Sempre sobra alguém para ser campeão

11:15 Net Esportes 2 Comments

Entre bogeys e birdies, os eagles são raridade e os doble bogeys um pesadelo com direito à Freddy Krueger. Com tantas tacadas acima do par muitos não conseguem passar do corte, e assim todos eles se sentem como se tivessem tido as suas cabeças cortadas. A Rainha de Copas não encontrou a Alice e assim ordenou que Rory McIlroy fosse cortado bem no pescoço, no meio, na metade da competição que lhe faz ficar fora das duas últimas rodadas. Triste, difícil e lamentável, exatamente como estar indo bem até começar a ir mal, na mudança de tempo repentina que atormentou o Olympic Club, em São Francisco.

Tony Bennett diz que seu coração ficou em São Francisco, mas acrescentou ainda que não ligava se a névoa da manhã fosse fria. E a névoa não foi só fria, mas foi intensa também. O vento agitou as árvores e levou a bolinha para direções que a tacada dos jogadores não gostariam que ela fosse. No mato alto ou bem no meio da banca, afundada na areia e afundando sonhos e esperanças. Ele já venceu o US Open três vezes, e que vitória massacrante foi aquela no ano 2000. Ele começou tão bem na quinta-feira e manteve-se firme na sexta-feira, mas Tiger Woods sofreu um colapso, sofreu com o tempo fechado e fechou seu caixão quando terminou com o seu segundo pior desempenho em todos os tempos.

Ir mal de uma vez por todas talvez seja melhor do que ir mal na reta final. Jim Furyk fez o que Tiger não conseguiu, se mantendo com uma tacada abaixo do par no sábado. Ele só não esperava ir mal bem no domingo, bem no último dia, bem na hora que teve a maior chance de ser campeão e repetir o título de 2003 para provar que aquela conquista não fora por acaso. Pelo menos ele foi mal o dia todo e não na última tacada e no momento mais derradeiro de toda a competição. Michael Thompson tinha tudo para fazer um birdie e empatar tudo, forçar um playoff na segunda-feira adiando a decisão. Mas ele só adiou seu próprio sonho, fazendo par e encontrando Krueger com suas garras afiadas.

Par do campo em 1998 e surpreendentes três abaixo do par em 1987 e duas abaixo em 1966. Resultados bem longes dos sete acima do par de 1955, na primeira vez que o US Open havia sido disputado no Olympic Club, em São Francisco. Um campo realmente difícil onde só vence o melhor ou o menos pior, onde um Simpson sempre acaba se dando bem. Em 1987 foi Scott Simpson e esse ano foi Webb Simpson. Um jogador que é pai de família, mas seus filhos não são o Bart e nem a Lisa. Um jogador cuja esposa está grávida, quem sabe a Maggie venha por aí. Um jogador que nasceu em Raleigh, na Carolina do Norte e não em Springfield. Mas um jogador que é agora tão conhecido como Homer Simpson, pois ele venceu o US Open, seu primeiro major, com uma tacada acima do par, pois em meio a bogeys e birdies, sempre sobra alguém para ser campeão. (Foto: AP)

2 comentários:

Patrick Araújo disse...

Eu não entendo nada de Golf e aqui no Brasil é um esporte elitizado infelizmente e poucas pessoas tem acesso a sua prática...

Pelo que vc escreveu parece que foi um partidasso e mais uma vez como de praxe o Tiger Woods continua decepicionando... Será que um dia ele volta a ser um dos melhores?

Net Esportes disse...

@Patrick: Esse dia está demorando Patrick, não sei se volta não.

Na verdade não foi um grande torneio, o pessoal sofreu muito com a dificuldade do campo e com o clima, acabou vencendo o menos pior ....

O engraçado com relação ao Tiger é que antigamente nós falávamos "Ah, ele venceu novamente, nunca perde" ... e agora falamos "Ele decepcionou novamente, nunca mais ganha" .... situação muito surreal!!!

Valeu !!!
abraço