Lágrimas de dor pelo segundo que não acabou

12:01 Net Esportes 3 Comments

Foram três segundos que se passaram, mas aquele segundo marcado no cronógrafo oficial jamais se passou. Um segundo que durou mais do que um segundo, e que deixou lágrimas de dor e frustração que talvez jamais possam ser esquecidas. Quatro anos de dedicação para alcançar apenas um sonho, o sonho de milhares de atletas que dedicam sua vida ao esporte, o sonho da sul-coreana Shin A Lam. Ela lutou bravamente contra sua rival com a espada e lutou por seus princípios, sabendo que estava certa, esperando pela justiça enquanto chorava pela injustiça. Por quase uma hora o mundo a viu sofrer, e em seguida testemunhou a primeira grande polêmica das Olimpíadas de Londres 2012.

O placar apontava um empate em cinco a cinco. Como no judô o empate leva à prorrogação com Golden Score. O toque duplo na esgrima não conta ponto para ninguém, e então a marcação do tempo é interrompida até que a luta seja reiniciada. Foi neste exato momento que o relógio parou em um segundo, para jamais ver esse segundo passar. O duelo fora reiniciado outras três vezes, tendo novamente como toque duplo o motivo  para que fossa parado outras duas vezes. E no terceiro reinicio consideraram que apenas a alemã Britta Heidemann marcou o ponto. Três reinícios e não passou o único segundo que restava para acabar a luta? Como isso pode ser possível?

Se estavam com pressa para acabar logo o dia, tiveram que esperar muito mais para irem embora. Se estavam tendenciosos com alguma das atletas, seria mais fácil compreender se uma delas fosse da Coréia do Norte e não do Sul. Se estavam querendo receber dinheiro por algum protesto, conseguiram, pois ter que pagar para que um resultado seja revisto é muito mais absurdo do que o absurdo do relógio não passar um segundo em três segundos. Tão absurdo como não ver que estavam errados, não conseguirem ver algo que foi tão óbvio para todo o mundo, tão nitidamente claro que causou uma revolta mundial, pela injustiça e pela falta de regras mais claras ou simples bom senso de quem decide as coisas. Nessas horas não tem como não chorar copiosamente.

Deixe as lágrimas escorrem por seu rosto Shin A Lam. Você foi valente enquanto pôde, lutou bravamente e todos sabem o quanto merecia se classificar para a grande final e garantir pelo menos a medalha de prata. Todos sabem que você tem apenas 25 anos, pouca experiência, que poderia manter seu braço esticado e evitar o ataque da rival, para que aquele segundo finalmente pudesse passar no relógio. Talvez seja por isso que você chora, porque você está lá sentada no chão com o mundo inteiro te olhando, de onde você não pode sair para não caracterizar a derrota. Só isso faz de você uma vencedora, mesmo que não tenha levado nem a medalha de bronze em seguida. E a alemã não levou o ouro também. Sua persistência em esperar o recurso supera suas lágrimas de dor pela derrota, que serviram apenas para mostrar o quanto você queria triunfar, e também o quanto você ainda pode fazer no futuro. Rio 2016 não vai demorar, você ainda pode sonhar e parar de chorar, Shin A Lam. (Foto: Reuters)

3 comentários:

Luiz Paulo Knop disse...

Pois é rapaz... até hoje não entendi o que se passou nesse(s) segundo(s) final... afinal, era pra ter zerado o cronometro ou há alguma regra que diz que o golden score não termina?

Se houve erro, é fato que a organização não assumiria, estamos falando de ingleses...

Luiz Paulo Knop
www.resenhaesportiva.com

Net Esportes disse...

@Luiz: Segundo ESPN.com.br a Federação de Esgrima admitiu o erro.

Patrick disse...

Roubo na esgrima olímpica! Sem mais! Credibilidade zero!