A impressionante temporada 2012 da F1

13:01 Net Esportes 8 Comments

Dentre os melhores era considerado o pior carro, mas um de seus pilotos é o líder do campeonato. Mais do que isso Fernando Alonso ainda foi o primeiro a ter conseguido duas vitórias no ano e quase se tornou o primeiro com três. A temporada 2012 da Fórmula 1 está impressionante e olha só quem venceu o GP da Inglaterra neste domingo, Mark Webber, que só havia subido ao pódio esse ano quando também triunfou no GP de Mônaco. São fatos que realmente impressionam, como ver a recuperação de Felipe Massa chegando na quarta colocação, a decadência da McLaren que viu Lewis Hamilton terminar em oitavo e Jenson Button ser o décimo em casa. Tudo tão impressionante como ver que Rowan Atkinson, o Mr. Bean, está velho e com cabelos brancos.

Já sabemos como funciona, mas ainda impressiona um pouco ver como cada tipo de pista influencia o desempenho de cada carro. A temperatura, a chuva e principalmente os diferentes tipos de pneu. Não resta dúvida que todos esse fatores prejudicaram completamente o fim de semana da McLaren. Não resta a menor dúvida que o tempo instável da Inglaterra que sempre interrompe os jogos de tênis em Wimbledon foi determinante para a pole position de Fernando Alonso. Assim como ninguém jamais irá discutir que a inversão na ordem do uso dos penus macios e duros foi crucial para que Mark Webber pudesse tirar uma diferença de quatro segundos nas últimas dez voltas, evitando assim um resultado final que certamente seria visto como monótono e chato.

Monótono e chato são coisas que a Fórmula 1 de 2012 certamente não é. Impressionante e inacreditável, tanto quanto ver Pastor Maldonado tranformar sua audácia em erros constantes ou Kamui Kobayashi atropelar todo mundo dentro dos boxes, isso sim. Fernando Alonso liderando o campeonato com Mark Webber em segundo lugar, só porque são os dois únicos pilotos com duas vitórias nesse ano. Isso é muito impressionante tendo como parâmetro fatos consumados de que a Ferrari tinha um carro ruim e que o piloto australiano andava desmotivado e pensando na aposentadoria. Será que as coisas continuaram assim ou ainda vamos nos surpreender mais e ficar ainda mais impressionandos quando Vettel e Hamilton se recuperarem ou Kimi Räikkönen entrar na briga pelo título? Pois assim é a temporada 2012 da Fórmula 1, impressionante. (Foto: AFP)

8 comentários:

Patryck - Admin. disse...

Esta temporada da Fórmula 1 está pegando fogo, e não há favorito, diferentemente na temporada passada em que Vettel passeou.





FLA X FLU: CLÁSSICO CARIOCA COMPLETA 100 ANOS

Marcelonso disse...

A verdade é que Vettel já deveria estar na ponta da tabela, não fosse o último abandono em Valência.

Apesar do aparente equilibrio, o campeonato está afunilando. Alonso contra Vettel e Webber. Hamilton ficou para trás.

Maldonado é bom piloto, mas a quantidade de cagadas já passou do limite. Uma pergunta, e a tal orientação do Wurz aos pilotos?

A corrida não foi das melhores.

abs

Net Esportes disse...

@Marcelonso: Demorou para afunilar, mas a verdade é que cada vez que parece que vai seguir de um jeito muda tudo.

Alexander Wurz? confesso que não to sabendo .... !!!!!!

Ron Groo disse...

Foi uma corrida morna e como tal, o vencedor ficou de bom tamanho.

Marcelonso disse...

Wurz foi contratado pela equipe para ser mentor dos pilotos, isso em Barcelona...confere ai

http://oglobo.globo.com/esportes/um-tutor-para-bruno-senna-4039676

Pelo visto, não resolveu nada.

abs

Net Esportes disse...

@Marcelonso: hahahha qu bizarro, ele vai ensinar como é ficar entre oitavo e décimo sétimo ...... meu Deus !!!!!!!!!!!!!!!!

Luiz Paulo Knop disse...

Wurz como mentor? Só se for pra Marussia...

Sobre o mundial ainda acredito em uma arrancada do Vettel. Mas se o Webber continuar na frente será que terá prioridade?

Luiz Paulo Knop
www.resenhaesportiva.com

Net Esportes disse...

@Luiz Paulo Knop: Se o Webber ficar na frente vão tratar os dois de forma igual sem prioridade .... se o Vettel passar aí terá uma leve prioridade. A Red Bull já provou uma vez que preferer perder a manipular.