Assim se fazem as lendas e mitos do esporte

08:30 Net Esportes 2 Comments

Em Pequim 2008 ele assombrou o mundo com três medalhas de ouro e três recordes mundiais. O jamaicano Usain Bolt venceu os 100m rasos, os 200m rasos e o revezamento 4x100m. Ele foi do desconhecimento ao estrelato imediato, mas mesmo que muitos o vissem como o maior na China, seus feitos estavam abaixo dos conseguidos por Michael Phelps. O nadador americano havia escrito uma história inédita, como era inédita a história de Bolt, porém uma história grandiosa, que somada ao que ainda faria nestes Jogos Olímpicos de Londres, lhe faria ser o maior de todos os tempos. Usain Bolt, também entrou para a história, mas só agora ele consegue alcançar o nível de Jesse Owens e Carl Lewis, só agora ele pode categoricamente ser chado de mito ou lenda do esporte.

É exatamente desta forma que se fazem as lendas e os mitos do esporte. Quando ninguém mais espera que ele consiga, quando todos o estão criticando e quando todos apontam outros atletas como favoritos. Usain Bolt tem aquela chamada marra característica dos competidores de atletismo, mas ele está longe de ser um cara metido e arrogante. Bolt na verdade é muito mais carismático do que soberbo, ele não da entrevistas entre as eliminatórias e semifinais, mas ele para quando vê Kobe Bryant e troca cumprimentos e um diálogo rápido com o astro do basquete. Bolt faz inúmeros gestos quando seu nome é anunciado antes da largada, mas Bolt não faz mais o gesto que virou sua assinatura pessoal. O raio havia sumido, mas o raio estava apenas guardado para cair exatamente no mesmo lugar.

Competir em Olimpíadas é uma pressão muito grande, se você for campeão então deve ser pior ainda para alguns atletas. Phelps se perdeu um pouco entre Pequim e Londres, Bolt fez o mesmo. O jamaicano começou a sair com muito mais frqueência à noite, se envolveu em acidentes de carro, queimou a largada no Campeonato Mundial e ainda viu o surgimento de um novo fenômeno das pistas, que ainda por cima é seu compatriota e amigo, companheiro das provas de revezamento. Yohan Blake ganhou nos 100m rasos de Daegu, deixou o raio para trás nas seletivas jamaicanas e vinha com tudo para Londres 2012. Ele vinha para vencer, para superar um astro, para fazer o que todos achavam que ia acontecer realmente. Mas não aconteceu. Exatamente porque ele enfrentava uma lenda do esporte, um mito do atletismo, um cara que hoje está no nível de Jesse Owens e Carl Lewis.

O que parece é que Bolt estava escondendo o jogo. Parece que Usain Bolt apertou um botão e voltou a ser aquele fenômeno incrível de Pequim 2008. As dúvidas pareciam ter acabado já nas semifinais, não pelo tempo que foi abaixo dos principais rivais, mas pela forma como dominuiu a velocidade na chegada. Ele estava sobrando novamente, pronto para bater o recorde olímpico outra vez e mostrar que um novo recorde mundial pode se tornar realidade em breve. Além de tudo ele ainda promete ir aos Jogos do Rio 2016, mas muito provavelmente isso não acontecerá antes de vencer os 200m e o revezamente 4x100m de Londres. Michael Phelps foi excepecional em Londres 2012, é o maior de todos, mas ele não foi maior do que ele mesmo em Pequim 2008. As Olimpíadas de Londres 2012 já tinha Bolt como estrela, e desta vez, só pela destruição que causou na prova mais emblemética de uma Olimpíada, ele já é a maior estrela dessa competição. Agora ele é um mito, Bolt agora é uma lenda viva do esporte mundial. (Foto: AP Photo/Matt Slocum)

2 comentários:

Ron Groo disse...

Eu fico muito satisfeito de poder ver as conquistas deste cara.
Dele - Usain - e de Phelps.
Acho que nunca mais veremos outros iguais.

Voltei.

Net Esportes disse...

@Ron Groo: Realmente Groo, não da para imaginar alguém correndo abaixo de 9s70 os 100 metros e alguém ganhando 22 medalhas sendo 18 de ouro ... mas na época do Carl Lewis e do Mark Spitz acho que todo mundo pensava assim também !!!