Ao lado de Buckingham, as Rainhas da praia

09:48 Net Esportes 2 Comments

O local é chamado de Horse Guards Parade, mas não é ali que acontecem as competições olímpicas com cavalos. Praticamente ao lado do Palácio de Buckingham, a área serve para guardar os cavalos da realeza e também é palco para cerimônias militares como a "Trooping the Colour". Mas durante as Olimpíadas de Londres 2012, com a London Eye e o Big Ben fazendo cenário de fundo, as atenções ficaram voltadas para  a arena temporária que pôde receber até 15 mil espectadores durante as disputas do vôlei de praia. No quintal da Rainha Elizabeth, que não apareceu para ver nem um jogo, duas rainhas deste esporte acabaram sendo coroadas mais uma vez, porque elas reinam em qualquer praia, mesmo que seja uma praia impovisada.

As americanas Kerri Walsh e Misty May-Treanor. As Raianhas da praia Walsh e May. Sem qualquer pretensão de reinar tanto quanto Elizabeth, elas não poderiam ter escolhido um lugar melhor para colocar um fim em seu reinado que começou em 2001 e rendeu três conquistas absolutamente incríveis para que não houvesse outra forma de se referir à elas que não fosse Reainhas da areia, da praia ou de praias improvisadas com 500 toneladas de areia. Campeonatos Mundiais, que acontecem com mais frequência, foram "apenas" três com uma segunda colocação. Mas nos Jogos Olímpicos, que naturalmente tem um valor maior para algumas modalidades, elas ganharam os três que jogaram juntas, simplesmente não dando chances à ninguém.

O vôlei de praia em Olimpíadas tem uma história muito recente. Tudo começou em 1996 quando o Brasil dominava e inclusive levou ouro e prata no feminino. Já em Sydney 2000 as brasileiras levaram prata e bronze, e May fazia dupla com Holly McPeak. Tudo então mudou para 2004 e ao lado de Walsh o domínio começou. Não deu para Adriana Behar e Shelda, não teve jeito para as chineses Tian Jia e Wang que jogavam em casa em 2008. Walsh e May receberam abraços do então presidente Bush, colocaram suas coroas na cabeça e como uma delas já tinhas mais de 30 anos acharam que era hora de parar, era hora de cada uma uma ir para um lado e seguir suas vidas, ter filhos e não pisar mais na areia, nem areia de praias improvisadas. E elas fizeram isso, pelo menos até o dia que resolveram se unir novamente.

May gostaria muito de ter engravidadado. Walsh gostou tanto que teve logo dois filhos, Joseph e Sundance. May completou 35 anos de idade e Walsh chegou aos 33. Chegou também mais um edição de Jogos Olímpicos, e elas não poderiam estar seperadas, o mundo não poderia deixar de vê-las jogando juntas uma última vez. O retorno é perfeito porque elas são perfeitas, elas jogam como ninguém talvez jamais jogou, com uma inteligência incrível que é essencial para o vôlei com apenas dois jogadores em cada lado de quadra. Toques precisos nos lugares certos, bloqueios extraordinários e defesas absolutamente incríveis. O resultado acaba sendo apenas um set perdido em toda a competição, Juliana e Larissa fora do caminho e mais uma medalha de ouro no pescoço. Ao lado do Palácio de Buckingham, para coroar essas sensacionais Rainnhas da praia, as Rainhas do vôlei de praia. (Foto: Reuters)

2 comentários:

Patrick disse...

A Walsh e May jogam muito. Não sei se a Juliana e Larissa conseguiriam ganhar delas na final.

O Brasil já foi o grande bam bam bam do volei de praia, está precisando de uma renovada e um investimento no feminino, como no esporte geral do Brasil....

Luiz Paulo Knop disse...

Indiscutivelmentas a melhor dupla feminina da história.

Antes de começarem os jogos eu já dizia que seria impossível bater as americanas, e deu no que deu... ainda bem que conseguimos papar esse bronze.

Luiz Paulo Knop
www.resenhaesportiva.com