A rivalidade entre Costa Leste e Costa Oeste

16:02 Net Esportes 6 Comments

Até o fuso horário da Costa Leste é diferente da Costa no Oeste nos Estados Unidos. Mas Tupac Shakur e Notorious B.I.G não eram tão diferentes, eles inclusive nasceram nas mesma cidade, a extraordinária Nova York. Muito provavelmente Carmelo Anthony tenha escutado muitos sucessos desta parceria, como os interessantes sons de "Better Dayz" e "10-Lets Get It On", que só foram lançados em discos póstumos infelizmente. Tudo porque cada um via uma hora diferente no relógio em diferentes momentos de suas carreiras. Alguns colocam a culpa na mídia e outros dizem que era apenas uma jogada de marketing, porém o que se via era uma grande rivalidade entre a Costa Leste e a Costa Oeste. Uma duelo tão gigantesco que acabou resultando na morte dos dois maiores rappers de todos os tempos.

De um lado um manda uma diss. O outro sofre um atentado e diz que seu rival e antigo amigo sabia de tudo. Um acaba preso enquanto o outro acaba sendo assassinado. Mais tarde quem supostamente havia mandado matar acaba morrendo também. A briga é entre gravadoras e produtoras de Costa Leste e da Costa Oeste, mas com tanto sangue escorrendo pelo chão está parecendo mais a Guerra de Secessão, onde o Norte duelava com o Sul do país. Esse tipo de disputa não é nem um pouco legal, mas quando levamos isso para o esporte as coisas começam a ficar um pouco mais interessante. Não é o Sul contra o Norte, mas a velha rinha dos anos de 1990 entre o Leste e o Oeste continua a todo vapor. E não estamos falando de hip hop, não é 50 Cent contra Ja Rule, é basquete da NBA.

Quantas vezes será que Tupac Shakur e Notorious B.I.G conversaram e quem sabe até se abraçaram? Talvez algumas, como fazem muitas vezes os jogadores da NBA que se conhecem muito bem. Como nos ideais de Biggie Smalls, "One Nation", é o que acontece nas Olimpíadas, por exemplo. Apenas uma nação envolvendo os melhores jogadores do melhor basquete do mundo. Por isso eles são tão unidos, tão amigos. Mas as grandes estrelas da NBA tem uma outra data anual para se unirem, e se dividirem também. No All Star Game é tudo uma grande festa, com Usain Bolt jogando o jogo das celebridades, com outros notáveis fazendo show de habilidades, lances de três e enterradas espetaculares, mas no fundo é Leste contra o Oeste. Entre tudo o que vale é a partida de domingo, é o jogo que ninguém faz força para ganhar, mas nenhum deles quer sair derrotado.

Na Bad Boy Records Tyson Chandler recebe assistências incríveis para fazer enterradas espetaculares, enquanto Anthony não perdoa da linha dos três e LeBron James arrasa em seu voo ou carreira solo. Já na Death Row Records não vemos o mesmo Kobe Bryant de outros dias, porém Kevin Durant assume a responsabilidade enquanto as cravadas ficam por conta de Blake Griffin. No meio do público tem Jay-Z e Beyoncé, no palco tem Ne-Yo e Alicia Keys, o hip hop está presente, mas ninguém está mandando um "Who Shot Ya?" ou um "Hit Em Up", pois se alguém mandou uma diss para alguém com certeza foi a bola por baixo das pernas de Chirs Paul para cima de Chris Bosh. Essa jogada com os pontos que marcou a as mil e uma assistência que fez renderam ao jogador do Los Angeles Clippers o prêmio de MVP da noite.

O prêmio individual, que sempre fica marcado na história e que foi muito merecido pelo que Paul fez no jogo, só veio porque o vencedor da partida foi o time do Oeste. E o Oeste só venceu porque mesmo que esse jogo não tenha nenhum valor, que só serve para promover a própria NBA ou fazer caridade (uma coisa muito boa por sinal), ninguém quer sair derrotado. Tanto Tupac Shakur quanto Notorious B.I.G eram muito bons no que faziam, mas infelizmente um queria ser melhor que o outro. Uma gravadora queria ser maior que a outra, uma Costa queria ser totalmente superior à outra. Felizmente no esporte a disputa é saudável, é apenas dentro do campo de jogo, dentro da quadra, onde ali ninguém quer perder jamais, mas ninguém tira a vida de ninguém por causa disso. Outras oportunidades virão para o Leste, quem sabe ainda esse ano, nas finais da NBA, onde as estrelas estarão separadas, cada uma brilhando em seu próprio time, porém sem deixar de continuar sendo Leste contra Oeste no final das contas.

6 comentários:

Ron Groo disse...

Eu até gosto da ideia do all star game, mas é aquilo: o jogo é sempre estranho em ritmo de cruzeiro e sem força. como convém, claro, a um jogo de festa...

O deste ano foi assim... Legalzim...

Net Esportes disse...

@Ron Groo: Acho que o clima esse ano tava meio pesado devido aos problemas entre Kobe e Howard (Oeste) e entre Anrhony e Garnett (Leste) ......

Faltou aparecer o Jordan em seu 50º aniversário, aí seria show !!!!

Luiz Paulo Knop disse...

Faltou Jordan na parada!!! Inacreditável que a NBA não tenha pensado em colocar o cara pra jogar com a camisa 23 dos Bulls!!!

Já gostei mais do All Star Game... também dos torneios de enterrada e etc... hoje acho que ficou meio "chinfrin".

Luiz Paulo Knop
www.resenhaesportiva.com

Net Esportes disse...

@Luiz Paulo Knop: Tomara que tenha sido apenas um ano fraco, porque acabar não vai. Em 2015 vai ser em Nova York.

De fato, faltou o Jordan, ele só abrilhantaria a festa. Pra nós, brasileiros, é um verdadeiro prazer acompanhar este evento, uma vez que o basquete nacional vem ganhando espaço e maior mídia a cada temporada. Bacana, por exemplo, a nossa versão do All Star Game, guardadas as necessárias e devidas proporções. Só serve para incentivar e cativar cada vez mais o público a interagir com a modalidade.

Saudações!!!

Net Esportes disse...

@FuteBronCA: A Globo tem feito as coisas funcionarem no Brasil. Mas se você for ver a 20 anos atrás o Basquete e o Vôlei sempre estiveram por ali, correndo atrás do futebol no Brasil .... e hoje em dia é praticamente isso que acontece.