O Michael Phelps de kilt seria a Missy Franklin

16:20 Net Esportes 2 Comments

Bem lá no alto das montanhas escocesas do século XVI até o século XIX estavam os bravos e destemidos guerreiros e batedores dos clãs. Eles lutavam com extrema bravura mas não dispensavam suas roupas quadriculadas feitas de lã e com esse típico e indispensável padrão tartan. Ninguém ousava chamar aquilo de saia, pois na verdade era um tradicional saiote. Quem usa saia é mulher, os homens (em especial os escoceses) usam o famoso kilt. E se um homem que não siga essas tradições quiser um usar esse 'estiloso' saiote ele correrá o risco de ser chamado de qualquer coisa, mas se ele for o nadador Michael Phelps não será nada difícil dizer que o maior nadador do mundo de saia é a sua compatriota Missy Franklin.

O maior nadador de toda a história do esporte é muito pouco para Michael Phelps. O americano é simplesmente o maior atleta olímpico de todos os tempos. Em número de medalhas conquistas no total ninguém supera o americano, que também se tornou o maior colecionador de medalhas de ouro e o maior vencedor de medalhas douradas em uma só edição dos Jogos. O que ele fez foi simplesmente incrível e inacreditável. Tão grandioso como havia sido o feito de Mark Spitz em Munique 1972. São acontecimentos que não ocorrem todos os dias e que também não são exclusividade dos homens. Afinal Tracy Caulkins poderia ter chegado perto desse feito se os Estados Unidos não boicotassem as Olimpíadas de 1980. Sorte dela que não boicotaram o Mundial de 1978.

Três provas individuais e dois revezamentos. Sem falar na prata que levou nos 100 metros nado peito. Nunca uma nadadora havia ganho cinco medalhas de ouro em uma só edição de Mundial e tal feito só se repetiu novamente em 2007 com a australiana Libby Trickett. Tracy Caulkins poderia ser chamada na época de Mark Spitz de saia (ou kilt). Mas a invasão da União Soviética no Afeganistão fez Jimmy Carter limitar a sua carreira a três medalhas de ouro olímpicas em Los Angeles 1984. Ainda bem que hoje em dia a Guerra não afeta tanto o esporte e ainda bem que os Estados Unidos foram até a China perder com hombridade. Ainda bem que Michael Phelps fez história e inspirou a natação americana ser ainda melhor e, poder ter o privilégio de contar com uma versão sua no feminino como Spitz teve nos anos de 1970.

Um sorriso cativante e a alegria de uma menina que mal completou seus 18 anos de idade. As câmeras que mantêm o foco em cada um de seus passos e o grande assédio dos repórteres já não a intimidam mais, afinal o mundo já escuta falar de seu nome desde 2011 quando começou a brilhar em Mundiais. Três medalhas de ouro, uma de prata e uma de bronze mostravam que o futuro seria mais glorioso do que qualquer um pudesse imaginar. Quem sabe chegar próximo do que fez Tracy Caulkins, quem sabe igualar seu incrível recorde, quem sabe até ser melhor do que ela foi e poder ser comparada com o próprio Phelps. Um Phelps que ganhou oito de ouro em uma mesma Olimpíada e que em Mundiais obteve sete vitórias em uma mesma edição. Para uma mulher é mais difícil fazer isso, mas da para chegar perto.

Tão perto como quase chegou Thiago Pereira das medalhas de prata. Ou tão emocionante como foi a medalha de ouro de César Cielo nos 50 metros livres. Tão precoce como as vitórias de Katie Ledecky nas provas de fundo e tão superior como Sun Yang também nas provas mais longas dentro da piscina. Mais brilhante que o brilhante Ryan Lochte ou tão alegre quanto as sorridentes Ranomi Kromowidjojo e Yuliya Yefimova. Com a solidez de James Magnussen e a firmeza de Chad le Clos. Ela simplesmente não deu chances para australianas, italianas ou francesas. Com ela o revezamento não é desclassificado e se fosse o Michael Phelps usando kilt para nadar em Barcelona o resultado seria o mesmo. Cinco medalhas de ouro em uma só edição do Campeonato Mundial. Melissa entra para a história como entrou Caulkins e Trickett, porque agora ninguém mais ira esquecer que o Phelps de saia se chama Missy Franklin.

2 comentários:

Luiz Paulo Knop disse...

Essa aí vai fazer história com certeza! Já foi muito bem nos últimos jogos e agora vem com força total pro Rio 2016

Luiz Paulo Knop
Resenha Esportiva
www.resenhaesportiva.com

Net Esportes disse...

@Luiz: Sem dúvida meu caro Luiz. Sem dúvida!