O único "Yankee" que sentiremos saudades

15:39 Net Esportes 0 Comments

Aqueles que estavam lá naquele dia, passando frio, nervosos, aflitos. Outros tantos espalhados pela cidade, em bares ou em suas próprias casas. Sem falar nos simpatizantes mundo afora, nos amantes do esporte. Nenhum deles se esquecerá jamais daquele dia 17 de outubro de 2004. Uma data emblemática. O dia que o Boston Red Sox começou a mudar a história do beisebol e a história de qualquer esporte como jamais se viu outra vez. E muito mais do que Dave Roberts ou Kevin Millar, houve um outro personagem da partida que teve uma responsabilidade ainda maior pelo resultado inesperado. E seu nome era Mariano Rivera.

Simplesmente o melhor "fechador" de toda a história do beisebol. Rivera tem até hoje 651 saves em toda a sua carreira de 19 anos na MLB. Deste total são 58 saves contra o Boston Red Sox. Ou seja, foram 58 vezes que Mariano fechou um jogo onde o New York Yankees estava vencendo o Boston Red Sox. Uma situação que ocorreu outras vezes onde ele não conseguiu o save, como naquele dia 17 de outubro de 2004. O Yankees estava vencendo por 4 a 3, Rivera só precisava fazer o que sabe, só precisava fazer o que até hoje fez 651 vezes. Mas naquele dia ele não fez. Roberts anotou a corrida depois de ter roubado a segunda base. O jogo foi a 12 entradas. E o Boston venceu.

O Boston Red Sox venceu o New York Yankees por 6 a 4 no jogo quatro da final da Liga Americana de 2004. Mas qual seria o significado dessa vitória se o Yankees já tinha vencido os jogos um, dois e três? Justamente o resultados dos jogos cinco, seis e sete, onde o Red Sox venceu todos. A maior virada na história de todos os esportes americanos que jamais havia acontecido antes. E tudo graças ao não fechamento do jogo pelo maior fechador de todos os tempos no beisebol. Não é exatamente por isso que Mariano Rivera não será amado em Nova York, não terá sua camisa aposentada e não entrará para o Hall da Fama. Mas é exatamente por isso que no Fenway Park ele será o único "Yankee" que todos sentiram saudades.

O Boston Red Sox conseguiu a maior virada da história em uma série de jogos, foi incrível, mas não teria sido tão importante se eles não tivessem acabado com o título conquistado naquele ano de 2004. O fim da "Maldição do Bambino", uma conquista que veio depois de 86 anos de espera. Os jogadores que fizeram parte daquele elenco do Red Sox, bem como o treinador recém chegado Terry Francona e muitos outros envolvidos, serão sempre lembrados, reverenciados e naturalmente homenageados mais cedo ou mais tarde. Mas isso não quer dizer que um rival daquele ano também não possa ser lembrado, homenageado e multi presenteado. Mesmo que seja de uma forma irônica, Mariano Rivera se tornou o único "Yankee" que os Red Sox sentirão saudades.

A cerimônia dura cerca de 15 minutos antes de mais um encontro entre os arquirrivais Yankees e Red Sox, o último desta temporada regular. Rivera irá se aposentar e talvez não exista uma nova oportunidade de encontro entre ele e o time que ele "ajudou". Assim o panamenho de 43 anos de idade recebe uma pintura, uma placa com o seu número 42 assinada por todos os jogadores do Boston, um assento original de 1934 também com o número 42 e até uma borracha do montinho do arremessador. Em vídeo exibido no telão as imagens daquele de 17 de outubro de 2004, que de maneira alguma deixa o sorridente jogador contrariado, pois ele não conteve a alegria de estar de um forma ou de outra sendo homenageado. Por isso, antes de jogo acabar e antes do seu time perder mais uma, ele deixa no bullpen o seu autógrafo e uma mensagem de agradecimento àqueles que a ele serão esternamente gratos também.

0 comentários: