Corrigindo um pequeno equívoco do passado

10:38 Net Esportes 0 Comments

Ainda no inicio de sua carreira, ainda em outra categoria, ainda em seu país e ainda lutando contra seus conterraneos filipinos, Manny Pacquiao foi derrotado pela primeira vez quando caiu por nocaute diante de Rustico Torrecampo. Isso não o impediu de seguir seu caminho promissor, mas antes de ganhar um título mais importante e mais importante ainda, antes de lutar no MGM Grand Las Vegas, Pacquiao ainda sofreu uma outra derrota, contra Medgoen Singsurat em 1999. Depois disso ele empatou duas vezes e só voltaria a ser derrotado em 2005, diante de Érik Morales, mexicano que ele derrotou duas vezes, mais tarde, quando alternava suas lutas contra outros mexicanos incluindo o maior rival Juan Manuel Márquez. Fosse no MGM, no Thomas & Mack Center ou no Mandalay Bay. Não importava onde, Manny Pacquiao estava se tornando o maior de todos em sua categoria.

A sequência incrível aconteceu entre 2008 e 2011. Vieram Oscar De La Hoya, Ricky Hatton, Miguel Cotto, Joshua Clottey, Antonio Margarito, Shane Mosley e novamente Juan Manuel Márquez. Pacquiao venceu todas as lutas, a maioria em 12 rounds, mas não enfrentou um lutador que teoricamente era melhor que ele. O mundo gostaria de ver Manny Pacquiao contra Floyd Mayweather jr., mas acabou tendo que se contentar com Timothy Bradley. Americano desconhecido que em cima do ringue é claramente massacrado pelo filipino, mas não na compreensão dos juízes naquela noite de nove de junho de 2012. O público vaia, se revolta, chegam a ameaçar Bradley de morte e Bradley chega até a pensar em suicídio. Alguma coisa precisava ser feita, um pequeno equívoco do passado precisava ser corrigido.

Antes de Érik Morales ter sua revanche contra Pacquiao, ele teve que enfrentar Zahir Raheem e ver o rival lutar contra Héctor Velázquez. Da mesma forma Bradley seguiu seu caminho mantendo sua invencibilidade diante de Ruslan Provodnikov e até mesmo Juan Manuel Marquez, enquanto Pacquiao desorientado perdia para Márquez pela primeira vez em sua carreira na primeira vez que perdeu duas lutas seguidas. Já com 35 anos de idade, sua capacidade estava sendo colocado à prova, até que a recuparação veio diante de Brandon Ríos em uma luta fora dos Estados Unidos. Era pelo menos o suficiente para ele reencontrar Timothy Bradley e esperar que desta vez pelo menos um pequeno equívoco do passado pudesse ser corrigido pelos juízes.

A forma física de Pacquiao não é questionável. Sua luta não é questionável. Seu boxe bem lutado contra a marra e provocação de Bradley continuam sendo excepcionais, mas após 12 rounds, sem qualquer um dos dois indo ao chão e apenas se desequilibrando no ringe, com um supercílio aberto e pouco sangue escorrendo apenas devido à um encontrão de cabeça, não seria nenhum absurdo que essa luta terminasse empatada. Exceto é claro pelo simples fato de que precisava mesmo corrigir um pequeno equívoco do passado. Agora que este erro foi reparado, resta saber se Bradley irá querer uma terceira luta, ou se Pacquiao irá enfrentar Márquez mais uma vez em sua carreira saturada de Pacquiao vs. Márquez. Porque esperar ver Manny Pacquiao contra Floyd Mayweather jr. é um sonho que muito provavelmente jamais será realizado.

0 comentários: