Quando o Portland Mavericks mudou o beisebol

20:29 Net Esportes 0 Comments

Portland mavericks, net esportes, blog de esportes
Quem nunca ouviu falar do ator Kurt Russell? O cara já está com 64 anos, também pudera, ele era astro de filmes clássicos dos anos de 1980! Mas acreditem ou não ele começou a atuar em 1961. Eu acho "Capitão Ron - O louco lobo dos mares" muito engraçado, "Stargate" é fascinante, "Momento Crítico" é tenso, assim como "Breakdown - Perseguição implacável". Eu gosto até mesmo de filmes soft como "Sonhadora", mas disparado mesmo o melhor filme que eu já vi do Kurt Russell é sem dúvida alguma "Os Aventureiros do Bairro Proibido"; um clássico daqueles memoráveis anos de 1980. Mas o que eu não sabia mesmo é quem era o pai de Kurt, não sabia que Kurt já havia jogado beisebol e também não sabia que o Portland Mavericks mudou o beisebol das ligas menores nos Estados Unidos.

Silvio Santos fez até propaganda gratuita no SBT e quem ainda não descobriu, não sabe o que está perdendo. Eu não vou dizer que NetFlix é a maior maravilha do mundo, eles não tem tantas opções assim. Como é possível não ter "O Touro Indomável", mas até que tem bastantes coisas legais para se divertir por um bom tempo. Eles são bons em seriados e estão apostando em produções próprias. E estava lá uma delas, sobre beisebol, sobre um time que reunia veteranos em busca de seus sonhos. Eu não entendi nada e resolvi conferir por conta própria. Aí aparece o Kurt Russel e a mãe dele falando sobre o pai dele. Bing Russell, um amante do beisebol que passou parte de sua infância acompanhando treinos de primavera do New York Yankees. O cara viu a nata dos Yankees dos anos de 1950, época em que segundo ele 'traficava' amendoins para os jogadores (ganharam cinco títulos de World Series nessa época).

Bing Russel descobriu que o segredo do jogo era o amendoin? Nada disso, Bing cresceu e virou jogador, mas não por muito tempo, pois lhe acertaram uma bolada e ele encerrou a carreira. Sorte de seu filho Kurt, pois ele virou ator e era um dos principiais de Bonanza. O cara era relativamente famoso na época, mas um dia resolveu ir para Portland, com o povo daquela cidade não imaginando o que ele fazia por lá. Bing nunca deixou sua paixão pelo beisebol de lado, ele fazia filmes explicando como jogar, com técnicas apuradas que vários jogadores da MLB não sabiam. E então ele resolveu comprar um time local das ligas menores que estava prestes a fechar as portas. Pagou 500 dólares e começou a realizar o seu sonho e o de muitos outros, pois abriu um dia de testes na busca por jogadores.

Veio gente de todas as partes do país. Alguns falam em 300 pessoas, outros acham que foram quinhentas. Jogadores que não tiveram sucesso na MLB, jogadores dispensados ou caras que jamais haviam jogado. Com um técnico que também havia perdido sua chance, ele montou um time, com pessoas consideradas esquisitas e que jamais iriam conseguir jogar direito, mas de alguma forma tudo deu certo. Eles venciam qualquer adversário, qualquer série, eles varriam e a vassoura virou um símbolo do Portland Mavericks. A torcida voltou a lotar o estádio e Bing Russel estava realizando o seu sonho e o de muitos outros que acreditaram junto com ele, inclusive seu filho Kurt que jogava como rebatedor e usava óculos na época.

O primeiro objetivo era vencer a divisão, mas o maior era ganhar o título. Ele conseguiram a primeira meta em 1973, 1975, 1976 e 1977, mas não chegaram ao topo jamais. Mesmo assim nunca houve uma outra equipe das ligas menores que venceu tantos jogos como o Portland Mavericks. A saga, no entanto, acabou naquele ano de 1977 quando foram derrotados na decisão, nessa época um time era vendido por cerca de cinco mil e duzentos dólares, mas devido ao sucesso nacional ofereceram cinco vezes mais. Bing Russel disse então que um zero entre o número dois e o seis deveria ser acrescido. Foi uma batalha nos tribunais, mas o pai do ator que detona em "Os Aventureiros do Bairro Proibido" conseguiu os 206 mil dólares e teve a certeza que o Portland Mavericks havia mudado a história do beisebol para sempre.

0 comentários: