Nas redes sociais tudo é polêmico agora

14:39 Net Esportes 1 Comments

net esportes, pan, blog de esportes
Mark Zuckerberg provavelmente tem noção da grandiosidade do Facebook, mas talvez ele não saiba o tamanho total das polêmicas que por lá circulam. As redes sociais são muito boas, os internautas abraçaram como nunca e muitos não conseguem ficar longe muito tempo, acessando diversas vezes por dia. Sentem que ali é o seu canal de comunicação para expressar sua mais fervorosa opinião. Não se importam se causa polêmica, se gera brigas e discussões e, principalmente, se ajuda a desfazer amizades que até então eram perfeitas e sem conflitos. A política, o time de futebol favorito, a morte do cantor sertanejo desconhecido que fizeram seus fãs mais fervorosos atacarem qualquer um que ali postasse algo relacionado à sua falta de informação sobre alguém que vivia em um meio do qual ele não estava familiarizado.

E assim a vida segue. As Olimpíadas do Rio 2016 estão chegando e poucos sabem que em Toronto, no Canadá (que frio!), está rolando os Jogos Pan Americanos. O total desconhecimento, que deve ser maior até que o tal cantor sertanejo falecido (cujo a família espero que esteja confortada nesse momento difícil), se da principalmente porque a Rede Globo não tem o direto de transmissão e não quer usar imagens da Rede Record dentro da sua programação. Por lá está a maioria dos atletas brasileiros, exceto os de vôlei que sabe lá Deus porque estão jogando uma competição ao mesmo tempo que outra. É a segunda maior delegação dos Jogos, perdendo apenas para o Canadá e, alguns deles, estão ganhando medalhas. Desta forma, quando sobem no pódio, estão batendo continência durante o hino nacional e hasteamento da bandeira.

Se os mal informados não sabiam nem que estava rolando o Pan, imagina saber que esses atletas entraram para as forças armadas em busca de patrocínio, salário e apoio para continuarem treinando e buscando resultados, principalmente pela proximidade dos Jogos Olímpicos. Todos tiveram cerca de um mês de treinamento militar, em regime fechado. Assim aprenderam muitas coisas, sendo que uma delas é respeito à pátria, respeito à bandeira e ao hino nacional brasileiro. É coisa de militar. Eles aprendem que bater continência durante o hino e hasteamento da bandeira e um direito que eles adquiriram e não um privilégio.

Aí aparece lá o atleta batendo continência após receber a medalha no Pan, enquanto o hino toca e bandeira sobe. Pronto. Vamos então às redes sociais protestar. O Facebook é minha arma e o Zuckerberg fica ainda mais bilionário. É contra ou a favor da redução da maioridade penal? É PT ou é PSDB? É de esquerda ou é de direita? Conhece ou não conhece o cantor sertanejo que morreu? Tudo é motivo para manifestar a sua opinião como se ela fosse mais relevante que a opinião dos outros. Os atletas brasileiros do Pan estão batendo continência e os internautas perdidos já protestam no Facebook achando que estão apoiando a intervenção militar. Santa mãe da hipocrisia exacerbada.

Não importa se foi uma exigência ou não bater continência. Alguns atletas disseram que foi solicitado que o fizessem, outros alegaram que foi espontâneo porque aprenderam a importância do ato e entenderam o direito conquistado pelo treinamento que fizeram. Alguns pensam que é puro marketing (proibido pelo comitê organizador), já que recebem salário das forças armadas brasileiras. Outros (o pessoal das redes sociais), já acha que querem derrubar a presidente Dilma. Por que será que tudo vira polêmica nas redes sociais? Por que usar as redes sociais para manifestar suas opiniões como se fossem eloquentes? Só espero que os atletas não sejam proibidos de fazerem aquilo que querem e que acham correto.

1 comentários:

Ron Groo disse...

Até onde sei, são atletas militares, logo, tem que prestar a continência mesmo.
E mesmo que não fossem... Nego polemiza tudo.
Vai ter continência sim... E se nego reclamar, os próximos vão gritar anauê.