Como teria sido de 2006 a 2008?

15:09 Net Esportes 0 Comments

Flushing Meadows New York US Open Tennis 2010 Day 13 11/09/10 Kim Clijsters (BEL) celebrates to her box as she wins Ladies final match Photo Roger Parker Fotosports International Photo via Newscom
Um típico ataque de raiva característico de jogadores de tênis que não conseguem fazer o que querem dentro de quadra, raquete batida com força contra a própria perna, quebrada e precisando ser trocada por uma novinha que está logo ali naquela bolsa enorme posicionada no único lugar onde consegue descansar entre um game e outro. A irritação enorme da russa Vera Zvonareva tem uma explicação bem plausível, até o final da partida ela cometeria 24 erros não forçados que culminariam em nenhuma chance de vencer o jogo que estava fazendo, mesmo porque não era um jogo qualquer, era a grande final do US Open de tênis, o último Grand Slam do ano, o torneio que acontece em uma das maiores cidades do mundo que acabou corando uma das maiores jogadoras dos últimos anos, a belga Kim Clijsters levantou mais uma vez o troféu após simplesmente arrasar a sua pobre e transtornada adversária.

Quando recebeu o prato de prata como prêmio pela segunda colocação, Zvonareva já estava um pouco mais calma e esboçava um sorriso de plena satisfação. Afinal não é todo dia que se é vice-campeã de um dos quatro maiores torneios do ano no tênis. Mais do que isso ela também deve comemorar o fato de ter chegado pela segunda vez seguida em uma final de Grand Slam e só torcer para que ser segunda colocada não se torne uma sina em sua carreira onde tem inclusive uma medalha olímpica, tendo sido bronze em Pequim 2008. Só que um sorriso maior ainda quem abre mesmo é Clijsters, sorriso e braços erguidos para alto assim que marca o último ponto da noite, nada de se jogar no chão e comemorar como se fosse o máximo que já conseguiu. Não era apenas mais uma vitória por fáceis 6-2 e 6-1 mas era a terceira vez que se tornava a melhor em Flushing Meadows, isso em três anos seguidos jogando por lá.

Nada de 2006 até 2008, sorte de Maria Sharapova, Justine Henin e Serena Williams, será que Clijsters poderia ter ganhado seis vezes seguida o Grand Slam de Nova York? A belga faturou o título em 2005, depois de ter feito duas finais de Roland Garros e uma no Aberto da Austrália. A taça conseguida naquela época só provava o quanto ela joga mais em piso de cimento e o quanto ela ama a cidade da grande maçã. O torneio sentiu falta dela quando ela se aposentou precocemente, mas o mesmo torneio a acolheu quando ela resolveu voltar no ano passado, e lhe deu mais uma taça. Esse ano talvez as coisas fossem diferentes, talvez Sharapova conseguisse se recuperar ou talvez Caroline Wozniacki chegasse ao seu auge. Nada disso, nem mesmo Venus Williams teve chance jogando em casa. O ano era mais uma vez de Clijsters, terceira taça e porque não o status de Rainha da Arthur Ashe.
NEW YORK - SEPTEMBER 11: Kim Clijsters of Belgium holds the championship trophy as she is joined by her daughter Jada after Clijsters defeated Vera Zvonareva of Russia during their women's singles final on day thirteen of the 2010 U.S. Open at the USTA Billie Jean King National Tennis Center on September 11, 2010 in the Flushing neighborhood of the Queens borough of New York City. (Photo by Chris McGrath/Getty Images)
Felicidade com o belíssimo troféu, alegria maior ainda quando ainda dentro de quadra ela recebe o carinho especial de sua filha. Parar de jogar para ser mãe foi um dos motivos que a fizeram abandonar o tênis antes da hora, a pequena Jada Ellie talvez seja o maior troféu de Clijsters em sua vida e ela parece estar brincando com um ioiô, será que não seguirá os passos da mamãe e se tornar uma grande jogadora de tênis? É muito cedo para prever ou saber, mesmo porque quando ela tenta lhe dar o troféu para que o segure a garotinha foge e sai de perto como se estivesse com medo da taça, na verdade deveria estar com medo da multidão e da infinidade de fotógrafos e câmeras que queriam registrar esse belíssimo momento em família, um momento que Kim Clijsters jamais irá esquecer, um momento que poderia ter se repetido outras três vezes no passado e que quem sabe ainda se repita mais algumas vezes no futuro. (Foto: Fotosports International e Chris McGrath/Getty Images via PicApp)

0 comentários: