Pequeno erro de estratégia

10:03 Net Esportes 6 Comments

Para aqueles que necessitam demais 'vender o produto', para os fãs apaixonados e no fundo para o bem da própria Fórmula 1, é muito natural que haja um desejo eloquente em ver um piloto que está ganhando tudo ficar um pouco para trás, ser superado pelo concorrente e assim deixar a impressão que nada será fácil, que algo como os intermináveis anos de domínio da Ferrari com Michael Schumacher não estão voltando. Só que mesmo quando isso acontece, quando todos vêem Lewis Hamilton superar Sebastian Vettel no GP da China e acham que o equilíbrio voltou, eles estão completamente errados. A Red Bull continua com a mesma superioridade que teve na Austrália e na Malásia, o jovem alemão só não venceu pela terceira vez porque a sua equipe cometeu um pequeno erro de estratégia.

Sebastian Vettel admitiu após a corrida que houve um erro de estratégia - 'Talvez tenhamos exagerado', disse o ainda líder do campeonato. Pode ser que a estratégia de fazer apenas duas paradas já estava prevista pela equipe Red Bull (eles ainda não perceberam que os pneus são péssimos e talvez erradamente fabricados para se desgastarem rapidamente), mas pode ser também que a estratégia tenha sido alterada após a primeira parada de cada piloto, pois nesse momento um líder improvável surgiu na frente. Nico Rosberg, a Mercedes, Ross Brawn. Estaria o velho e singular estrategista dos tempos de Ferrari e Schumacher fazendo novos milagres em 2011? Pobre Vettel e pobre Ferrari se caíram nessa armadilha, para o time italiano foi ainda pior, para o alemão veio o lucro após as 56 voltas.

O desgaste excessivo dos pneus trouxe na China a tal emoção que todos da Pirelli imaginavam para a nova temporada da Fórmula 1, isso claro levando em consideração também o Kers e a asa traseira móvel. A corrida foi muito movimentada e cheia de ultrapassagens, mas não porque um piloto é bom ou tem em suas mãos um carro muito bom, isso ajuda em partes, mas no caso específico desse o ano o fato do piloto que vai a frente não estar conseguindo andar rápido é simplesmente porque seus pneus já não rendem mais, precisam ser trocados, e quem troca mais anda muito mais. Praticamente todos os pilotos optaram por três paradas, para render o máximo talvez fosse preciso quatro paradas, duas é muito pouco, com duas em a insuperável Red Bull consegue se manter na frente.

Lewis Hamilton venceu a corrida com três paradas nos boxes para troca de pneus, o inglês chegou a ficar atrás das Ferraris após as primeiras paradas, e as Ferraris com apenas duas paradas amargaram sexta e sétima colocação. Sebastian Vettel sem Kers caiu para terceiro lugar na largada, superou as McLarens na pista, fez apenas duas paradas e sendo ultrapassado até pela retardatária Force India devido ao desgaste dos pneus no final da prova ainda conseguiu ficar em segundo lugar. Só isso já é o bastante para ver como a Red Bull segue muito acima dos concorrentes, e se não bastasse seu companheiro de equipe Mark Webber conseguiu chegar em terceiro lugar depois de largar em 18º, e o australiano ainda fez as três paradas necessárias para manter o bom desempenho do carro.

O desejo da Pirelli em ver uma corrida agitada devido ao desgaste dos pneus funcionou no GP da China, mas isso só aconteceu porque algumas equipes não quiseram fazer uma parada a mais. Já Mark Webber fez ultrapassagens em cima de pilotos que supostamente tenham pneus nas mesmas condições que os dele, e isso frustra os necessitados em 'vender o produto', os fãs apaixonados que querem equilíbrio e o bem da Fórmula 1 que continua ameaçado por uma hegemonia mesmo que momentâneamente ela tenha sido freada parcialmente. A Fórmula 1 entra agora em período de pequenas reformulações nos carros, volta em três semanas com provas na Europa, as coisas talvez mudem um pouco, porém não será nenhuma surpresa ver o domínio avassalador da Red Bull ser mantido, desde que não voltem a cometer pequenos erros de estratégia, algo que com esses pneus se tornou fundamental nessa temporada. (Foto: Philippe Lopez/AFP/Getty Images)

6 comentários:

TW disse...

Belíssima análise da corrida. Sim, Vettel, mesmo com a a estratégia errada, sem KERS e pneus bastante desgastados, ainda lutou bravamente para segurar Hamilton, mas era impossível que o inglês não passasse. A Ferrari, como sempre, fazendo bobagens nas estratégias, poderia ter dado à Massa seu primeiro pódio na temporada. Agora, eles esperam as novidades da Turquia que pode mudar um pouco esse cenário.

Gostei bastante do blog. Te interessa uma parceria e troca de links?

Ron Groo disse...

Eu devo ser muito chato... Entendo que a prova tenha sido boa, mas pelos motivos errados.
Kers, asa móvel, pneu de farinha... Isto não é F1, assim como chocolate hidrogenado não é chocolate.

Net Esportes disse...

@TW: Muito Obrigado pelo comentário.

@Ron Groo: Pra mim não é chato pois compartilho da mesma opinião, não muito pelo Kers ou Asa ... mas muitíssimo pelo 'pneu de farinha' como vc disse que é ridículo ... o pior é ver todos falando "que linda ultrapassagem" e tudo mais sendo que só conseguiu passar porque o da frente ta sem pneu .... fala sério.

Marcelonso disse...

Ficou muito claro que a soberba da Red Bull, acabou selando a sorte de Vettel.

Por outro lado, Hamilton foi muito bem hoje, mereceu a vitória pelo conjunto da obra!

Quando ao puritanismo, vou deixa-lo na gaveta por hora.

Afinal de contas, se pneus de farora, flap e KERS, são a conta para fazer corridas boas nos Tilkodromos, que seja. Ao menos é divertido!

abs

Net Esportes disse...

@Marcelonso: Respeito seu ponto de vista meu caro Marcelo, mas convenhamos que é uma realidade meio falsa, as ultrapassagens ocorrem porque o da frente está com penus desgastados ou o de trás mandou ver na asa .... o agito é bom, mas acho que não é a cara da F-1 ..... exceto uma vez ou outra, com chuva e tal ...

TW disse...

Link adicionado ao Motorizzados também