Manning é melhor que o Manning

07:58 Net Esportes 1 Comments

Em 1949 Archie Manning nasceu, depois ele cresceu, virou quarterback da NFL e nunca foi campeão. Mas ele teve dois filhos que seguiram seu caminho, um Manning melhor do que o outro. Peyton foi o primeiro, o jogador que mudou a história do Indianápolis Colts. Campeão em 2007 foi considerado um dos maiores da atualidade e está até entre os grandes da história. Inaugurado em 2008 o Lucas Oil Stadium, estádio do Colts, é considerado como "a casa que Manning construiu", quem lembrou do Babe Ruth e do Yankees? Depois veio o irmão mais novo, Eli, que em 2008 levou o Giants a uma vitória épica no Super Bowl. Cada irmão com um título, até que o caçula passou o mais velho, Manning se tornou melhor que Manning, que é melhor que Manning, e justamente lá na casa do Manning, lá no Lucas Oil Stadium, em Indianápolis, Indiana.

O Super Bowl é sempre um evento grandioso e incrível. A emoção corre solta à flor da pele, é um espetáculo, um show acima de tudo. Kelly Clarkson, com novo corte de cabelo arrepia o fã do esporte ao interpetrar o hino nacional. Madonna mantém o nível estraordinário do show do intervalo com luzes e brilho, faz valer o preço do ingresso e o alto valor de U$ 3,5 milhões que se cobra por cada 30 segundos de intervalo comercial na TV. Mas esse Super Bowl 46 parece não ter em campo o brilho que se espera das jogadas, a tensão que se espera a cada lance e um grande show como o de Madonna que se espera de dois quarterbacks que já foram campeões e MVP´s de Super Bowl. No ano passado não tivemos um Super Bowl emocionante decidido no último segundo, mas havia mais empolgação em torno da história que estava sendo escrita.

Ver o Green Bay Packers campeão depois de tantos anos com outro quarterback era incrível por si só. Ainda mais contra um Pittsburgh Steelers que não costuma vacilar em Super Bowl e com um bom placar, 31 a 25, um jogo movimentado com vários touchdown´s, com touchdown de interceptação, uma movimentação intensa. Mas esse ano não tinha muito disso. Começou com um safety por falta, 2 a 0 no placar de futebol americano é esquisito. Começou com o Giants não dando a menor chance ao New England Patriots, Eli Manning preciso acertando tudo e levando seu time a uma liderança por 9 a 0. Tudo isso até Tom Brady acordar, espantando por breves momentos a maldição dos esportista casado com uma mulher bonita. TD pouco antes do show da Mdonna e mais um logo depois, o Patriots voltou a ser o Patriots de Brady abrindo ainda mais vantagem com um filed goal antes que o Gints voltasse a marcar novamente.

Até aí um jogo normal. Quem estava vendo o futebol americano ou até mesmo um Super Bowl pela primeira vez na vida não estava vendo nada de mais. Não tinha touchdowns polêmicos, conseguidos com grandes recepções e ou nos limites do campo. Não tinha touchdown de interceptação e nem de retorno, ninguém se arriscava com quarta descida e nem tentava on side kick, quem lembra do Saints no Super Bowl logo no começo do jogo? Nenhum dos dois fumbles do Giants foram recuperados pelo Patriots. Não tinha field goal de muito longe, não tinha nenhum trabalho ofensivo forte contra defesas supostamente frágeis. O máximo que teve foram field goals de 38 e 33 jardas, ambos do New York Giants, que o fizeram resuzir a desvantagem, mas não o faziam serem campeões do Super Bowl. Até que finalmente o Super Bowl 46 ficou interessante e com todos os ingredientes que só mesmo o Super Bowl pode ter.

Tom Brady sucumbiu. Tom Brady, o marido de Gisele Bündchen, poderia correr com a bola, poderia se livrar da bola sem sofrer dois pontos como no começo do jogo, poderia fazer qualquer coisa menos tentar um passe tão longo como aquele. Interceptação, bola da equipe de Nova York, nova esperança quando pela segunda vez a equipe de Boston tinha a chance de ampliar o placar e assegurar o troféu Vince Lombardi. E se Brady não conseguiu ser herói e ainda se tornou vilão da sua equipe, então Eli Manning aproveitou para superar o pai, superar o irmão e se tornar o maior Manning da história da NFL. Um passe espetacular para Mario Manningham que agarrou a bola de forma incrível junto à lateral do campo. Não teve como não lembrar de 2008, do Super Bowl, de Giants contra Patriots. Mais uma virada se aproximando, o Super Bowl finalmente sendo incrível e emocionante como sempre é.

Mais um field goal resolvia e a idéia era gastar todo o tempo e fazer isso no último segundo. Assim o Patriots entregou um touchdown para ter o tempo a seu favor. De bandeija para Ahmad Bradshaw que o fez, caindo sentado na end zone depois de parar a uma jarda do objetivo máximo final quando Eli gritava "Não anote, não anote! Mas ele caiu de costas e a tentativa de marcar mais dois pontos não foi suficiente para evitar 57 segundos de posse para o Patriots. Eram 57 segundos e Tom Brady do outro lado. Tensão, nervosismo extremo, milhões de pessoas assistindo a um dos maiores eventos esportivos do planeta e faltando cinco segundos o Patriots ainda faz uma jogada onde Brady lança a bola de muito longe na end zone e por muito pouco, mas muito pouco mesmo não sai o touchdown que poderia decretar uma vitória ainda mais épica do que foi a vitória do Giants em 2008 contra esse mesmo New England Patriots.

Sem revanche. O New York Giants foi campeão do Super Bowl mais uma vez. Eli Manning brilhou e foi MVP justamente na casa do irmão Peyton Manning, que esse ano não jogou pelo Colts por causa de uma cirurgia. O Giants que quase ficou fora dos playoffs se tornou o campeão do Super Bowl com sete derrotas na temporada regular, isso jamais havia acontecido. Foi apenas a terceira vez que um time com nove vitórias na temporada regular termina campeão, os outros dois foram quando a temporada tinha apenas 14 jogos e quando a NFL sofreu com a greve. O Giants provam que são gigantes conseguindo seu quarto Super Bowl na história, se tornando a única equipe com pelo menos um título em quatro décadas diferentes. O Giants venceu de forma emocionante um Super Bowl que parecia tão frio e morno, que não parecia nem Super Bowl, mas que antes de chegar ao fim provou todas as qualidades que o cercam e que sempre o cercarão na história do esporte mundial. (Foto: Rob Carr/Getty Images)

1 comentários:

Ron Groo disse...

foi um jogão! os dois quarterbacks jogaram demais... Jogadas de defesa de lado a lado com muita eficiência..

E olha, aquele ultimo lance, com aquele passe longuíssimo fez muito fã do Patriots trancar viu...