Domina o ano querendo o mundo

14:45 Net Esportes 1 Comments

Copa do Mundo de esqui alpino lindsey vonnAnnemarie Moser-Pröll foi uma esquiadora austríaca que competiu entre os anos de 1969 e 1980. Sua carreira terminou praticamente na mesma época em que conseguiu aquele que talvez fosse o maior objetivo traçado desde o início, quando levou para casa a medalha de ouro olímpica na edição de Lake Placid dos Jogos de Inverno. Campeã da Copa do Mundo de Esqui Alpino por incríveis seis temporadas, Annemarie alcançou a incrível marca de 114 pódios em onze anos e nada a menos do que 62 vitórias no total. Jamais em qualquer outra época alguma esquiadora conseguiu triunfar tantas vezes, apenas chegando perto como é o caso de um ou se aproximando cada vez mais, como é o caso de uma outra que compete nos dias atuais.

Não estamos falando de Vreni Schneider. Mesmo porque essa esquiadora suiça que começou a competir em 1984, encerrou sua longa e consagrada carreira no ano de 1995. Foram anos de glórias e inúmeros triunfos. Só nas Olimpíadas vieram três ouros: No slalom de Lillehammer 1994 e Calgary 1998, além do giant slalom de Calgary 1998. Três ouros em campeonatos mundiais também e três títulos de campeã geral da Copa do Mundo de esqui alpino, 1989, 1994 e 1995. Schneider, hoje com 47 anos de idade, alcançou exatos 100 pódios em toda a sua carreira, chegando em mais da metade deles ao ponto mais alto onde atingiu 55 vitórias no total. Não superou as 62 vitórias de Annemarie Moser-Pröll, mas até ontem era uma das duas únicas mulheres com 50 ou mais vitórias em toda a carreira.


Curiosamente apenas três esquiadores entre os homens tem 50 ou mais vitórias na carreira. E apenas Ingemar Stenmark supera Annemarie Moser-Pröll. O sueco competiu de 1974 e 1989 e alcançou a incrível marca de 155 pódios com 86 vitórias históricas. Foram duas medalhas de ouro olímpicas e três títulos na Copa do Mundo. Depois dele vem o lendário Hermann Maier, da Áustria, que não passou das 54 vitórias e só conseguiu ser melhor que Alberto Tomba, da Itália. Maier pelo menos conta com um título de Copa do Mundo a mais que Stenmark, enquanto que Tomba teve que se contentar com apenas um e ainda saber que mais cedo ou mais tarde outra mulher vai conseguir superá-lo depois de igualar sua marca nada fácil de ser alcançada. 50 vitórias no mundo do esqui alpino não é fácil de se conseguir e não é todo dia que acontece.

Esse dia pode até ter demorado, mas ele veio. Esse dia poderia ter sido na semana passada quando Maria Höfl-Riesch a venceu por muito pouco no Super Combinado. Esse dia não poderia ter acontecido em um dia melhor do que hoje, quando toda a sua família foi para Garmisch-Partenkirchen, na Alemanha. É lá que ela passa o Natal justamente com a sua algoz da semana passada, Riesch, grande rival e amiga. A neve, o frio, a alegria estamapda no rosto que tra um sorriso encantador. Lindsey Vonn entra para um lista pequena de grandes, Lindsey Vonn fatura mais uma vez uma prova de Downhill e alcança a sua vitória número 50 em toda a carreira intensa e brilhante. Apenas ela e mais quatro esquiadores, duas mulheres, venceram 50 vezes ou mais no perigoso mundo do esqui alpino.

Metade das vitórias de Lindsey Vonn vieram no Downhill, sem dúvida alguma sua descida favotita. Seu diferencial, no entando, é que ela já venceu em todas as disciplinas, inclusive giant slalom. Vonn já faturou também três títulos seguidos da Copa do Mundo e perdeu por muito pouco o do ano passado. A bela esquiadora tem também um ouro olímpico e dois em campeonatos mundiais. Nesse ano sua liderança é sólida e inabalável, 1350 pontos contra 868 da segunda colocada Tina Maze; Riesch é terceira com 746. Aos 27 anos ela acumula 91 pódios em dez temporadas, mas as vitórias só começaram em 2005. Agora só o tempo dira o que mais pode vir pela frente, talvez superar 86 triunfos seja extremamente difícil, mas alguém duvida plenamente que ela não consegue passar das 62 vitórias em breve? (Foto: AFP PHOTO / JOHANNES EISELE
)

1 comentários:

Ron Groo disse...

Eu ia dizer que queria mesmo que ela me dominasse, mas não sei se minha patroa lê seu blog...