Dançando na chuva

08:21 Net Esportes 4 Comments

O motivo pelo qual a transmissão da TV abria a imagem em cada tomada de curva ou final de reta era um só, mostrar o horizonte, mostrar como estava o céu no circuito de Sepeng, na Malásia, palco da segunda etapa da temporada 2009 de Fórmula 1, e assim o que todos viam eram nuvens negras, carregadas, prenuncios de que vinha ali um dilúvio pela frente, uma chuva intensa que inevitavelmente se confirmou e acabou com a corrida.

Volta de número 33 e bandeira vermelha, carros parando na reta dos boxes e muita correria por parte das equipes, o procedimento adotado foi normal para esse tipo de situação, aguardar um tempo para que a chuva passe e reiniciar a prova, mas como esse é um ano de grandes mudanças na Fórmula 1, mudaram também o horário das corridas, cinco da tarde, assim a noite se aproximava, a escuridão veio e impediu qualquer chance de termos mais corrida.

O novo horário é comercialmente perfeito para a Europa, onde está a maior audiência da categoria, mas para o esporte foi péssimo, com menos de 2/3 da corrida percorridos, apenas metade dos pontos foi registrada, assim o vencedor, que foi mais uma vez o inglês Jenson Button, levou cinco e segue na liderança com sua irresistível Brawn GP, Barrichello acabou entrando na dança da chuva e terminou em quinto levando dois pontos, que o deixam à cinco do companheiro de equipe.

A tempestade que caiu em Kuala Lampur não veio de forma intensa desde que os primeiros pingos caíram, assim alguns carros colocavam pneus de chuva e trocavam para o intermediário, tendo que voltar novamente para o de chuva, a Brawn parou quatro vezes enquanto outras pararam três vezes, Heidfeld foi o que menos parou e terminou em segundo, Glock parou na hora certa e foi o terceiro, a direção de prova depois de errar, acertou, parando a corrida, para segurança de todos, e com a certeza de que nesse horário na Malásia, nunca mais. (Foto: Vincent Thian/AP)

4 comentários:

Fábio Andrade disse...

Nem na Malásia nem em Melbourne, diga-se de passagem. Se algo parecido tivesse acontecido na Austrália o caos seria o mesmo.

Leandrus disse...

Espero que isso não ocorra mais mesmo. Porém, de Bernie Ecclestone, espere de tudo...

Glock realmente teve o melhor desempenho na chuva, colocou pneus intermediários na hora certa e o resultado foi o pódio depois de ter caído muito na largada. Pra mim foi um dos destaques da Malásia. Assim como a hilária cena da transmissao caindo e mostrando Galvão, Reginaldo Leme e Burti na cabine, kkkkk

Érika dos Anjos disse...

Sou a favor de várias da mudanças deste ano na F1, no entanto, a pior coisa foi essa mudança de horário. Pois, em vários países vai haver problema de tempo. E não somente chuva, mas vento, falta de luz, entre outros. Acredito que para 2010 a FIA deva rever esse conceito, pois, mesmo que a Europa seja responsável por grande parte da audiência, ainda há o 'resto do mundo', que também assiste às corridas.

abutre236 disse...

Os chefões da Fórmula 1 estão ficando caducos. Criaram a melhor e mais fascinate categoria do automobilismo mundial, mas agora prestes a baterem as botas, pare3cem que querem acabar com a categoria.

Essa mudança de horário foi absurda. Será que o pessoal da Europa gostou de assistir uma corrida pela metade.

Enquanto teve corrida, foi uma das melhores dos últimos tempos.

Go Massa Go Barrica Go Piquet.