Mais uma vez o melhor do ano

14:57 Net Esportes 1 Comments

O Mundo hoje é globalizado, mas ao mesmo tempo é tão dividido e tão distante em certos aspectos. A diferença entre o hemisfério norte e o hemisfério sul é gigantesca, talvez até do tamanho de toda a Via Láctea. Quando em um dos lados da Terra faz muito frio, no outro faz muito calor, e geralmente o verão e considerado como um sagrado período de férias e descansos no futebol. Assim as chamadas temporadas de jogos são completamente diferentes, onde na Europa quando se caminha para o meio do ano todos se aproximam do fim da temporada, enquanto que na América do Sul se caminha exatamente para o meio da temporada. Isso faz com que seja incoerente apontar o melhor jogado do ano já no mês de abril, mas certos fatos fazem isso ser inevitável de certa forma.

Claro que é preciso esperar para saber quais times irão vencer seus respectivos campeonatos nacionais, além de outras competições paralelas e claro principalmente a Champions League. A eleição para melhor jogador do mundo feita pela FIFA tem acontecido inclusive no começo do ano seguinte, ou seja, será daqui a mais de oito meses, podendo levar em consideração até o Mundial de Clubes. Isso não ajudará em nada os jogadores que não atuam na Europa, e isso piora ainda mais quando esses jogadores do Velho Continente resolvem suas vidas até mesmo antes que o meio do ano chegue, pois estão em uma época de decisão, estão jogando mata-mata da Champions League e fazendo grandes clássicos, com muita história. É um pouco precipitado, mas da para pelo menos dizer quem é o melhor jogador do mundo na atualidade e com grandes chances de ser novamente o melhor do ano.

Depois de ter ficado duas vezes em segundo lugar, era mais do que justo que o argentino Lionel Messi fosse o vencedor do prêmio de melhor jogador do mundo oferecido pela FIFA em 2009. Não há dúvidas de que o jogador se manteve em grande nível no ano seguinte, porém é possível contestar sua vitória consecutiva em 2010 levando em consideração que o atleta não conseguiu um desempenho satisfatório na Copa do Mundo da África do Sul. O que o espanhol David Villa fez na Copa foi muito mais importante até do que fez Xavi Hernandez, o terceiro colocado, tão grande quanto o feito do seu compatriota Andres Iniesta, que também foi obrigado a amargar o vice-campeonato na disputa. Todos eles atuam hoje no Barcelona, e todos tem sua parcela de crédito para ajudar o companheiro a ser bom, e como só pode haver um, esse um em 2011 tende a ser novamente Lionel Messi.

O francês Zinedine Zidane e o brasileiro Ronaldo já venceram o prêmio de melhor do ano três vezes em suas carreiras, porém nenhum deles venceu três vezes consecutivas. Messi pode ser o primeiro jogador com três vitórias seguidas, e o que ele fez para conseguir isso? Simplesmente continuou em 2011 fazendo tudo o que fez em 2010, fazendo tudo o que deveria ter feito na Copa de 2010. Mais do que isso Messi conseguiu a seu favor outro feito notável com a camisa do time que defende desde sempre, onde se tornou o maior goleador do Barcelona em uma única temporada, conseguindo mandar a bola para as redes 48 vezes em 46 jogos que disputou. O seu último gol foi ontem, na vitória sobre o Shakhtar por 1 a 0, mais um belo gol, que só aumenta a suas chances de ter o seu trabalho mais uma vez reconhecido.

Ainda falta passar pelo Real Madrid de Cristiano Ronaldo e José Mourinho, não só em uma semifinal de Champions League como também no Campeonato Espanhol e na final da Copa do Rei. Ainda falta fazer muito mais do que já fez, pois a temporada vai até o meio do ano e não até abril. Ainda faltará vencer o Mundial de Clubes caso chegue lá e também começar bem a próxima temporada que será iniciada quando ainda for 2011. Fora isso ainda faltará saber se quem decide sobre o melhor do mundo leva em consideração todo o ano de 2011 ou se considera a temporada europeia, iniciada em 2010 que foi essencial para Messi chegar ao seu recorde de gols em 2011. Esse ano ainda tem a Copa América, mais uma chance para o jogador provar que pode fazer pela Seleção de seu país o mesmo que faz pelo seu clube. Mas talvez a competição sul-americana nem faça diferença, pois nem a Copa do Mundo fez nesse caso. (Foto: Reuters)

1 comentários:

Marcelonso disse...

Esse gringo é fora do normal,somos obrigados a admitir.

Joga muita bola, e nós temos o privilégio de ve-lo em ação, é a história sendo escrita!

abs