Histórias Olímpicas XV

10:58 Net Esportes 8 Comments

Eleito para sediar os Jogos de 1940, o Japão teve que desistir devido à Segunda Guerra Mundial, mas a edição de Tóquio 1964 marcou o renascimento do país mais arrasado pelo conflito fora da Europa, pela primeira vez as Olimpíadas chegavam ao continente asiático, e boa parte dos US$ 3 bilhões investidos na infra-estrutura vieram dos EUA, um dos maiores responsáveis pela destruição causada incluindo o lançamento de bombas nucleares.

A Cerimônia de Abertura, realizada no Estádio Olímpico projetado no estilo dos tradicionais templos japoneses, ficou marcada por um momento emocionante, o jovem Yoshinori Sakai, de 19 anos, carregou a tocha e acendeu a pira, o garoto nasceu em Hiroshima dia 6 de agosto de 1945, data em que a bomba atômica foi detonada sobre a cidade. A escolha foi uma homenagem às vítimas do holocausto nuclear e um apelo à paz mundial.

O Japão aproveitou a oportunidade para introduzir dois esportes em que tinha grande potêncial, além do Pentatlo Moderno, surgiram o voleibol e o judô, na quadra ganharam ouro no feminino e no tatame levaram três medalhas douradas, porém na principal luta da categoria livre, a vitória ficou com o holandês Anton Geesink, que derrotou o local Akio Kaminaga, no episódio que acabou virando um verdadeiro trauma nacional.

A edição nipônica ainda marcou os triunfos derradeiros da fabulosa ginasta soviética Larissa Latynina, que acumulou em três Olimpíadas um total de 18 medalhas, sendo 9 de ouro, marca inalcançada até hoje. Os EUA, que viram o surgimento de Joe Frazier e Donald Schollander, também renasceram como o Japão, e voltaram a ficar na primeira colocação do quadro geral de medalhas, com 36 de ouro contra 30 da União Soviética, que por sua vez teve seis medalhas a mais contando também as de prata e bronze. (Foto: Arquivo)

-
1960 - 1956 - 1952 - 1948 - 1936 - 1932 - 1928 - 1924 - 1920 - 1912 - 1908 - 1904 - 1900 - 1896

8 comentários:

Lucas Soares disse...

Que legal!
As olimpíadas são muito boas. Eu amo assistir a todas as modalidades. Não vejo a hora de ter mais...
E quanto à história, é muito interessante, e o garoto que nasceu no dia em que a bomba foi detonada na cidade...
Muito boa postagem.
=)

http://esperaemdeus.blogspot.com/

Debora Ferreira disse...

O minimo que os EUA podiam fazer depois de destruir o país era "patrocinar" as Olimpíadas...

poxa, 18 medalhas ! 9 de ouro.. humilha ateh o michael phelps \o//

Breiller disse...

E agora Tóquio quer fazer história de novo, apostando tudo na candidatura para os Jogos de 2016. Com o expertise da cidade em grandes eventos esportes, que incluem Mundial de Clubes e até Copa do Mundo, a capital japonesa tem boas chances de repetir 1964.

Daniel Leite disse...

Essas coisas chegam a ser cômicas, para não dizer trágicas. Saber que as Olimpíadas de Tóquio foram financiadas pelos Estados Unidos desafia a idéia de bom senso da humanidade...

Até mais!

Fabio Bustamante disse...

não entendi como os Estados Unidos tiveram a moral de ajudar o Japão depois de ter causado esse acontecimento lamentável na história da humanidade...o que me impressiona nas Olimpíadas é a união mundial: na época dos jogos, parece que o ódio entre nações não existe, e isso é uma magia única das Olimpíadas...

www.futebolediscussoes.blogspot.com

Filipe Araújo disse...

misturando com a atualidade, inc´rivel o salto que os japoneses deram para tornarem-se uma potência olímpíca. Fruto de muito planejamento e, principalmente, disciplina.

Abrazo!

http://gambetas.blogspot.com

Diego Mesquita / disse...

Boa análise.

OBS.: Tiraram meu link dos recomendados?

Vinicius Grissi disse...

Muito bacana a homenagem aos mortos em Hiroshima. As histórias dos Jogos não param de me impressionar.