Histórias Olímpicas XVI

10:32 Net Esportes 8 Comments

A América Latina recebia as Olimpíadas pela primeira vez na história, mas a edição do México 1968 quase foi cancelada devido aos inúmeros conflitos mundiais, como a guerra do Vietnã, a Revolução Cultural na China, a invasão soviética da Tchecoslováquia e principalmente Massacre de Tlatelolco, ocorrido no próprio país sede dez dias antes da Cerimônia de Abertura, os Jogos se tornaram então uma forma dos atletas se manifestarem contra a repressão.

Nos EUA o líder negro Martin Luther King foi assassinado, no pódio dos 200m rasos Tommie Smith e John Carlos proporcionam a imagem mais marcante dos anos 60, após receberem as medalhas, levantaram seus braços com as mãos cobertas por luvas negras e punhos fechados (saudação "black power" do partido revolucionário Panteras Negras), um protesto pela segregação racial, os dois acabaram expulsos da delegação americana e da vila olímpica.

Mas os Jogos de 1968 não viveram apenas de conflitos políticos, o excesso de álcool proporcionou o primeiro caso de doping a Hans-Gunnar Liljenvall, mas a altitude de 2.240 metros do nível do mar trouxe o chamado doping natural, que melhorou a performance dos atletas em provas rápidas e proporcionou a quebra de 68 recordes mundiais e 301 recordes olímpicos, dentre os quais uma marca que dura até hoje.

Considerado o maior salto da história e um dos maiores feitos do esporte, o norte-americano Robert Beamon conseguiu 8,90 metros no salto em distância e jamais foi alcançado em Olimpíadas, não só a altitude mas também o vento de 2m/s (limite permitido) o ajudaram muito, ele tinha 22 vitórias antes dessa e jamais conseguiu repetir o feito, mas ajudou os EUA a ficarem em primeiro novamente no quadro geral de medalhas, que ainda viram George Foreman vencer Joe Frazier, Mark Spitz ganhar suas primeiras provas e Dick Fosbury inventar um novo estilo para o salto em altura. (Foto: Arquivo)

-
1964 - 1960 - 1956 - 1952 - 1948 - 1936 - 1932 - 1928 - 1924 - 1920 - 1912 - 1908 - 1904 - 1900 - 1896

8 comentários:

Vinicius Grissi disse...

Interessante a manifestação dos atletas, e mais ainda a expulsão de ambos da delegação americana. É o esporte lutando pela igualdade.

Ricky_cord disse...

Infelizmente ainda há muito racismo em todos os desportos

Racismo, No!!

Liberdade,Igualdade e Fraternidade!



Participe do IBlog,divlugação e propaganda.

http://iblogworld.blogspot.com/

The Gossips disse...

Achei muito legal o gesto dos atletas e ridiculo sua expulção...

http://tgossips.blogspot.com

chicabumm disse...

Queria muito ter visto a cara do Hitler, quando um negro venceu as olimpiadas, ô se queria! Uma pena eu nao ser viva naquela epoca, haha. :D

Daniel Leite disse...

A conquista de Beamon revela o quanto as condições climáticas são importantes no esporte. Mas, nesse caso, é um tanto estranha a realização dos Jogos Olímpicos em um local alto, como a Cidade do México.

Até mais!

Debora Ferreira disse...

é, algumas olimpíadas foram realizadas em meio a muita confusão!eu fiquei sabendo desse gesto que o americao fez, né... o reinaldo, do Galo, disse que uma vez ele fez issodurante uma copa, se não me engano...

Loucos por F-1 disse...

Esta imagem é um dos momentos mais marcantes das olimpíadas.
A altitude e o fator climatico proporcionou fatos interessantes, como várias quebras de recordes

Abração!

Leandro Montianele