Histórias Olímpicas XVIII

11:52 Net Esportes 7 Comments

As Olimpíadas de Montreal 1976 trouxeram um grande prejuízo ao Canadá, mais de U$ 2 bilhões que o país levou décadas para recuperar, mas o pior para a primeira edição que teve o surgimento e sucesso dos exames anti-doping, foi o grande boicote de 26 nações africanas lideradas pela Republica do Congo, além de Iraque e a Guiana, tudo porque o COI permitiu a participação da Nova Zelândia, que havia enviado um time de Rugby para a África do Sul meses antes, país banido da comunidade esportiva internacional pela sua política racial do Apartheid.

Sem os países da África, as provas de atletismo ficaram com um nível fraco, mas a ginástica artística viu uma apresentação de gala daquela que acabou considerada a "Rainha de Montreal, Nadia Comaneci tinha apenas 14 anos, 1,50 m e 35 kg e encantou o Mundo com uma apresentação perfeita, ganhou três medalhas de ouro e levou sete notas 10, algo considerado tão impossível que o placar marcou "1.00", pois não havia como registrar dois dígitos antes da divisão da fração.

Mas nem todas as mulheres saíram felizes no final das disputas, já que a polonesa Danuta Rosani, do arremesso do disco, se tornou a primeira do sexo feminino pega no anti-doping, que era aplicado nos três primeiros colocados de cada modalidade e outros atletas sorteados, no total foram feitos 2 mil exames, que detectaram onze casos positivos, dos quais oito no levantamento de peso. Paulo Cerutti, um atleta de 65 anos que disputava tiro esportivo, foi desclassificado pelo uso de anfetaminas.

O Brasil ganhou duas medalhas de bronze, com João do Pulo no salto-triplo e na vela, com a dupla Reinald Conrad e Peter Ficker na classe Flying Dutchman. Os EUA contavam com uma de suas melhores equipes de Boxe, liderados por Ray Leonard levaram cinco ouros, mas os 34 conseguidos no total não foram suficientes e o país caiu para o terceiro lugar pela primeira vez na história, com a Alemanha Oriental em segundo e a URSS na primeira colocação, o Canadá foi o primeiro anfitrião em todos os tempos à ficar sem nenhuma de ouro. (Foto: Arquivo)

-
1972 - 1968 - 1964 - 1960 - 1956 - 1952 - 1948 - 1936 - 1932 - 1928 - 1924 - 1920 - 1912 - 1908 - 1904 - 1900 - 1896

7 comentários:

Tatiana Camilo disse...

hum... muito interessante.
Parabéns pelo conteúdo do blog!!
Adoro olimpíadas, as cores, o patriotismo, as culturas, e a torcida. Não vejo a hora!!

convido a visitar meu blog:
www.espelhomagic.blogspot.com

Bjus

Ronaldinho disse...

muito bom o post e num momento mais que oportuno

http://pitacosfutebolisticos.blogspot.com/

infox comp disse...

Esse blog tem muito futuro hein!


parabéns


www.infoxcomp.blogspot.com

PCN disse...

Pra quem pensava que nas olimpiadas tudo dava certo, esse blog mostra que não foi bem assim!
E... Sugar Ray detona!

http://papeisriscados.blogspot.com/

Breiller disse...

A Nadia fez história na ginástica e foi sensacional no Canadá.

Me arrisco a apontar um novo fenômeno na ginástica para essa olimpíada: a norte-americana Shawn Johnson. Aposto minhas fichas e boto fé em pelo menos 2 ouros dela.

Fabio Bustamante disse...

Esse quadro "histórias olímpicas", como eu já disse, é muito bom. é legal ficar sabendo mais sobre o passado das olimpíadas, cada vez que eu entro neste blog aprendo mais sobre esses importantes acontecimentos do esporte!

Vinicius Grissi disse...

Ganhar uma Olimpíada com 14 anos deve ser algo fantástico. Fico imaginando o que se deu desta atleta.