Histórias Olímpicas XX

15:02 Net Esportes 12 Comments

Quatro anos se passaram e a URSS viu em Los Angeles 1984 a oportunidade de troco, depois de ter sofrido o boicote dos EUA foi a sua vez de não comparecer na Olimpíada realizada pelo grande rival da Guerra Fria, porém poucos países do eixo comunista como Cuba, Coréia do Norte e Alemanha Oriental se aliaram aos soviéticos, e um recorde de 140 países participantes foi estabelecido.

Inevitavelmente então os EUA dominaram quase todas as competições, 174 medalhas sendo 83 de ouro, foram inúmeros destaques como Carl Lewis que faturou quatro provas no atletismo, o recorde mundial de Evelyn Ashford nos 100m rasos, além da desclassificação de Evander Holyfield que tinha tudo para vencer no boxe, e é claro o show no basquete masculino, liderados pelo excepcional Micheal Jordan.

Mas apesar do domínio amplo dos anfitriões, as Olimpíadas de Los Angeles que teve até um homem voador no cerimônia de abertura, ficará eternamente marcada pela imagem que mostra um dos maiores esforços em busca de um objetivo esportivo já visto em todos os tempos, a suiça Gabriela Andersen-Scheiss teve raça, perseverança, um espírito olímpico que deve ter deixado o Barão de Coubertin satisfeito, onde mesmo cambaleando e levando cerca de dez minutos só no trecho final, completou a primeira Maratona Feminina dos Jogos Olímpicos aos 39 anos de idade.

A Suiça acabou sem medalhas de ouro mas o Brasil levou ao menos uma, com Joaquim Cruz nos 800m, com mais cinco de prata e uma de bronze conseguiu sua melhor participação até então, motivo de sobras para comemorar que a rede de de lanchonetes McDonald's não teve, pois sem saber do boicote soviético havia criado uma promoção, para cada medalha de ouro dos EUA um hambúrguer de graça, prata valia uma batata frita e um bronze rendia um refrigerante, o resultado foi um prejuízo de milhões de dólares. (Foto: Arquivo)

1980 - 1976 - 1972 - 1968 - 1964 - 1960 - 1956 - 1952 - 1948 - 1936 - 1932 - 1928 - 1924 - 1920 - 1912 - 1908 - 1904 - 1900 - 1896

12 comentários:

Excelência msmo!

Muito bom!

Ainda aguardo você no IBlog, gostaria da sua participação.

♥M@cellY♥ disse...

Grande Gabriela, exemplo de percistência!!!
Kkkk... essa do mac'donalds, foi boa!
rsss

Bjinhuus!

luciana disse...

essa questao d eolimpia é as vezes fascinante...lembro da historia do Hitler, que saiu irado do estadio na Alemanha pq um negro ganhou a medalha de ouro....acaba que no final o importante nao é a competição mas o status e as confraternizações entre paises.

Loucos por F-1 disse...

Foi um exemplo de espírito olimpico o da suiça Gabriela Andersen-Scheiss. Uma imagem que marcou o mundo esportivo.

Abraços!

Leandro Montianele

Gabriel disse...

AI está até "jogos olimpicos" nasceram justamente para promover competição entre E.U.A e URSS, o esporte nasceu da guerra, do seio da Guerra Fria...Hoje em dia está mais decadente que a miséria das criancinhas da África.
Atletas (principalmente do futebol)saem daqui com 17 anos, e quando estao velhos ou sem utilidade são mandados de volta e querem voltar a jogar aqui... Tudo virou zorra, o esporte sóe xiste por causa da "grana", Pra mim depois de 40, 50, o esporte morreu.

Bom blog camará, pra quem é chegado em história, realmente bem legal. Parabéns

Evoé!

Universo 42 disse...

Essa Grabielha tem raça mesmo.

http://universo42.blogspot.com/

nanaxinha_dk disse...

hsauihsaiusa adorei sua observação

Jhony disse...

ÉÉÉÉÉÉ!
Os americanos são Potência!

vlww o POST!

http://jhonyfreitas.wordpress.com

Tatiana Camilo disse...

Adoro história...
Como brasileira me irrito um pouco em ver q os EUA leva quase todas (confesso, é uma pitadinha de inveja sim rs) mas como pude perceber em seu blog, isso vem desde antigamente, vem da cultura e de uma motivação gerada pela guerra fria. Ainda bem q o Brasil está se destacando em alguns esportes nas competições atuais e o melhor, sem guerras neh.
A história do prejuízo do Mc Donads foi hilário rsrs.

Convido a visitar meu blog:
www.espelhomagic.blogspot.com
Bjs

pelo menos uma o Brasil levo :D

abraços
http://blogaragem.blogspot.com

Bia Nascimento disse...

Queria ter a metade da garra dessa atleta!!

A suiça deu um exemplo a todos n´so. As vezes, qdo estou desanimado e cansado, me lembro dela... isso me ajuda a levantar e seguir, mesmo cambaleante, para a frente!