Histórias Olímpicas XXV

17:47 Net Esportes 5 Comments

Muitos, incluindo o próprio COI, duvidavam da capacidade de Atenas para receber os jogos de 2004, porém 108 anos depois de sediar a primeira Olimpíada, os gregos fizeram uma excelente organização, conseguiram uma popularidade nunca antes vista principalmente pelos diversos meios de difusão do evento, já incluindo transmissões pela internet, foi extremamente rígida no controle anti-doping e tinha tudo perfeito até o último dia, quando o pior aconteceu.

O brasileiro Vanderlei Cordeiro era líder na Maratona, mas faltando poucos quilômetros para o final ele foi jogado para fora da pista por um fanático religioso, o padre irlandês Cornélius Horan, com muita luta e ajuda do grego Polyvios Kossivas, que assistia a prova, voltou para a disputa e terminou com o bronze, a bravura e espírito olímpico de Cordeiro lhe rendeu a medalha do Barão de Cobertin, e o tornou o grande herói de Atenas.

O ouro que não veio na maratona poderia ter melhorado ainda mas a campanha do Brasil, que somou cinco ouros e conseguiu a inédita 16ª posição, melhor da história, os triunfos de Torben Grael com Marcelo Ferreira e Robert Scheidt na vela, Emanuel e Ricardo no vôlei de praia, Rodrigo Pessoa no hipismo e a equipe de vôlei masculino, se somaram à mais duas de prata e três de bronze, totalizando 10, duas e menos que Sydney 2000 e cinco a menos que Atlanta 1996 devido à alguns tropeços.

A Seleção femina de vôlei perdeu para a Rússia na semifinal quando faltava apenas um ponto para fechar o jogo no quarto set, Diane dos Santos, campeã mundial de solo, cometeu um pequeno erro na final e anulou todas as suas chances, Jadel Gregório no salto triplo não igualou feitos de Adhemar Ferreira da Silva e João do Pulo. além do grande revezamento 4x100m que foi apenas oitavo. O pior mesmo foi o velejador Bimba, precisava de um terceiro lugar para o ouro na última regata e só um 17º lhe tiraria o bronze, justamente a posição que terminou.

O Chile conseguiu sua primeira medalha de ouro na história, e a segunda veio no dia seguinte, ambas com o tenista Nicolas Massú em simples e duplas, a Argentina voltou a ganhar ouro, Basquete e Futebol, e vários atletas fizeram história como Hicham El Guerrouj que venceu os 1.500m e 5000m, além de Kelly Holmes, que levou os 800m e 1.500m, mas a maior glória de todas foi nas piscinas.

Ele foi um verdadeiro fenômeno, Michael Phelps com apenas 19 anos, faturou oito medalhas, sendo seis de ouro, apenas uma dourada a menos que o lendário Mark Spitz, e o nadador norte-americano prometeu conseguir o feito de ultrapassar seu compatriota nas Olímpiadas seguintes, em Pequim, na China, país que obteve pela primeira vez o segundo lugar no quadro de medalhas, com 32 de ouro contra 35 dos EUA, e também fez uma promessa, ficar em primeiro quando for sede do maior evento esportivo do mundo, que começa no dia 8/8/2008 exatamente à 8h08min. (Foto: Arquivo)

2000 - 1992 - 1992 - 1988 - 1984 - 1980 - 1976 - 1972 - 1968 - 1964 - 1960 - 1956 - 1952 - 1948 - 1936 - 1932 - 1928 - 1924 - 1920 - 1912 - 1908 - 1904 - 1900 - 1896

5 comentários:

greatdj disse...

Acho que as Olimpíadas de Atenas foram as que mais destacaram o Brasil.
Não só pelo fato do número de medalhas mas até mesmo pelo Vanderlei, quando ocorreu isso o mundo inteiro se voltou ao corredor brasileiro.
E o Brasil inteiro morreu de ódio pelo fanático.

Leandrus disse...

Uma das minhas maiores frustrações em relação ao esporte foi não ter visto o ato do louco do Cornélius ao vivo: maldita prova do Enem!

Acredito que foi uma ótima Olimpíada do Brasil (tendo em vista nossas limitações), que poderia ter sido ainda melhor se alguns dos tropeços que você citou não tivessem ocorrido e se a seleção masculina de futebol não tivesse pago o vexame de não se classificar para o evento. E ainda poderíamos ter conquistados 2 bronzes no taekwondo.

Ateh!

Putz esse lance foi foda viu
coitado desse cara viu
fikei com dó no dia
mas ta blz

Bjss

Marcos Garcia disse...

Foi foda o que aconteceu na maratona, mas ainda bem que o Vanderley teve superação e ainda conseguiu buscar o pódio. O INACRETITAVEL foram as meninas do volei perderem aquela partida do jeito que foi, era só fazer um pontinho, e a Rússia precisava de 7 ou 8 pontos, e conseguiu a virada e não deu chance para as brasileiras no quinto set.

Muito boa a recordação proporcionada pelo texto.

até mais

www.classeaesportes.blogspot.com

que sacanagem que esse doido fez com ele..

o seu blog esta muito maneiro.
depois dar uma passada no meu blz?

abraços
Léokope