Mundial de Natação: Caeleb Dressel

13:48 Net Esportes 0 Comments

net esportes
Na verdade o Campeonato Mundial é de Esportes Aquáticos, mas como evitar um destaque maior para a Natação? Além disso, e talvez por acontecer apenas a cada dois anos, ou não, fica difícil também evitar não dar um destaque para pelo menos um competidor ou competidora como um dos dez maiores nomes do esporte do ano todo. E isso nem acontece por um obrigação, isso acaba acontecendo naturalmente porque além de um grande destaque, existem muitos outros que poderiam também ser um grande destaque ou são destaques grandiosos que teriam chances de ser o destaque maior.

Em 2017, ano de Mundial de Esportes Aquáticos, destacamos como um dos dez maiores nomes do esporte daquele ano a nadadora Katie Ledecky, que havia ganho cinco medalhas de ouro e uma prata. Eram seis no total e havia um nadador americano que levou sete de ouro, mas não foi destaque. Este ano de 2019 Ledecky estava doente, não competiu em todas as provas, mas mesmo assim levou um ouro e duas pratas. Já Caeleb Dressel, por sua vez, queria muito levar sete de ouro novamente e somar ainda com uma prata, mas acabou mesmo com seis de ouro e duas pratas. Performance excepcional mesmo assim, e talvez uma correção em um erro cometido em 2017.

Katie Ledecky também foi destaque em 2016 junto com Michael Phelps, e em 2015 quando teve Mundial também. No ano de 2013 tivemos Missy Franklin como destaque, ela havia ganho seis de ouro no Mundial e parecia o "Michael Phelps de saia", mas depois sumiu e abriu espaço para Ledecky. Esse ano comprovou ainda mais a injustiça com Dressel em 2017. Em 2012, ano Olímpico, naturalmente Phelps foi destaque mais uma vez. Já em 2009 teve Brasil na lista com César Cielo, que bateu recordes que duravam até esse ano e, em 2008, naturalmente o destaque foi Michael Phelps que levou oito de ouro nas Olimpíadas de Pequim e, não apenas foi um dos dez maiores nomes, como ficou em primeiro lugar na lista.

Acreditamos que a maior injustiça foi mesmo Caeleb Dressel que levou sete ouros e nem foi mencionado. Mas este ano com seis ouros e duas pratas, sendo oito medalhas no total, ele finalmente ganha o destaque que merece. Mesmo assim fica aqui a citação de outros grandes nomes que brilharam neste Mundial como a brasileira Ana Marcela Cunha que levou duas de ouro na Maratona Aquática, a húngara Katinka Hosszú que segue dominando o nado medley, a sueca Sarah Sjöström que leva ouro, prata, bronze e está sempre lá no pódio, a Simone Manuel que é a primeira afro americana a brilhar, a italiana Federica Pellegrini que segue dando trabalho e vencendo, ou sua compatriota Benedetta Pilato que foi prata com apenas 14 anos.

No masculino brilharam também o chinês Sun Yang, que fez questão de também arrumar polêmica com nadadores que não quiseram cumprimentá-lo por suspeitar que ele usou doping. O alemão Florian Wellbrock que deu show nos 1500m livres com a ausência de Sun. O britânico Adam Peaty que é dono dos 50m e 100m peito. E o japonês Daiya Seto que assim como Katinka Hosszú domina as duas provas do nado medley. Todos eles grandes nomes da natação e grandes destaques neste Mundial, mas nem tão grandes como Caeleb Dressel, que havia sido gigante em 2017 e finalmente é lembrado por ter sido tão enorme quanto fora agora no ano de 2019.

0 comentários: