Tour de France 2022

10:53 Net Esportes 0 Comments

Tadej Pogačar estava competindo novamente no Tour de France em 2022. O esloveno chegou como favorito, afinal ele havia sido campeão em 2020 e também em 2021. Pogačar venceu a sexta etapa e assumiu a camisa amarela de líder geral. Ele é realmente incrível e venceu novamente na sétima etapa. O problema foi quando na décima primeira etapa essa liderança sólida que parecia durar desde o ano passado se foi como um sopro no vento. Dali para frente ele tentou e como tentou, atacou em diversas subidas, mostrava confiança e determinação, mas acabou terminando apenas com a camisa branca e um vice-campeonato que por mais grandiosos que sejam, acaba não sendo lá grande coisa para alguém que já havia erguido o troféu em dois anos consecutivos.

Jonas Vingegaard era um outro competidor no Tour de France 2022. Ele havia sido vice-campeão em 2021 e, por mais que Pogačar fosse favorito, muitos acreditavam que Vingegaard poderia surpreender. O Tour de France que começou na Dinamarca tem a sua história perfeita com um dinamarquês campeão. Tudo começou naquela etapa onze, um dia antes da grande etapa que terminava no Alpe d'Huez. Era o Col du Granon que levou Jonas Vingegaard a uma vitória fulminante e que aniquilou precocemente Tadej Pogačar. Dali para frente Vingegaard parecia burocrático, apenas anulando os ataques de seu rival, mas na etapa 18, a última nas montanhas, ele mostra novamente a força que mostrou na etapa onze e melhora sua vantagem sobre Pogačar consolidando a conquista de forma merecida.

Dois ciclistas praticamente isolados protagonizando o Tour de France. E seria só isso se não houvesse um outro ciclista que também fez sua história como um coadjuvante de destaque. Seu nome é Wout van Aert e os livros jamais viram algo assim na história desse histórica competição ciclística. Na segunda etapa ele já conseguiu a camisa amarela, mesmo sendo um sprintista. Na quarta etapa veio a vitória, que se repetiria outras duas vezes. Ele venceu a camisa verde com o recorde de 480 pontos, mas além de tudo isso ele foi o cara que estava "lá" quase o tempo todo. Na última subida deste Tour vimos o camisa amarela, o camisa branca e ele, o camisa verde, os três juntos no final da última e uma das mais duras subidas deste Tour. Ver um camisa verde subindo tão bem é algo que não se vê jamais, foi uma das imagens mais marcantes da história do Tour de France em todos os tempos e foi protagonizada por esse belga chamado Wout van Aert.

E nessa última etapa de subida Wout van Aert ainda ajudou Jonas Vingegaard por ser seu companheiro de equipe, colocando um ritmo de subida alucinante que acabou deixando Tadej Pogačar mais para trás do que já estava, fazendo com que Vingegaard nem precisasse fazer um último ataque. Dois dias depois o dinamarquês retribuiria o favor diminuindo sua velocidade na chegada do contra-relógio e deixando a vitória da etapa para Van Aert. O camisa verde que sobe montanhas, o camisa verde que foi quinto colocado na classificação de escaladores, o camisa verde que bateu o recorde de pontos, o camisa verde que venceu três etapas e o camisa verde que ajudou muito o camisa amarela, são todos os motivos que fazem de Wout van Aert o grande nome deste Tour de France de 2022.

0 comentários: